Vacina da Rússia tem eficácia contestada

agosto 11, 2020 /

A Rússia anunciou, na manhã desta terça-feira (11), que provou sua vacina contra o coronavírus. O presidente russo, Vladimir Putin,chegou a garantir, nesta segunda-feira (10)que a imunização é “segura” e “eficaz”. O governo do Paraná confirmou que fará um convênio com a Rússia para viabilizar a produção. Entretanto, a OMS não recomenda a utilização da vacina, uma vez que, em seu último registro consta que os russos ainda estão na fase 1. Para ser registrada, seria preciso completar a fase 3. O órgão considera que uma vacina só deve ser usada na população depois de aprovada nas três etapas da pesquisa.

“A OMS está em contato com as autoridades regulatórias da Rússia para receber informações sobre essa vacina. Só depois de analisar todos esses dados será possível fazer uma recomendação’, afirmou o médico brasileiro Jarbas Barbosa, vice-diretor da Opas.

O governo russo afirmou, ainda, que já recebeu solicitações de mais de 20 países por 1 bilhão de doses de sua recém-registrada vacina contra a covid-19. No Brazil, o convênio será firmado entre governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), e o embaixador da Rússia, Sergey Akopov, na tarde desta quarta-feira (12).

O passo seguinte à assinatura do acordo é o compartilhamento do protocolo russo com a Anvisa, para que a agência brasileira libere a realização dos procedimentos necessários para os testes.

Aloma Carvalho