Sistema Nacional de Emprego realiza mais de 36 mil atendimentos em Belford Roxo

março 16, 2018 /

A Prefeitura de Belford Roxo, através da Secretaria de Trabalho e Emprego, está inserindo jovens e adultos no mercado de trabalho, através do Sistema Nacional de Emprego (Sine). De 2017 até fevereiro deste ano, o Sine realizou mais de 36 mil atendimentos em seu balcão de empregos, e destes, 3.600 pessoas foram encaminhadas ao mercado de trabalho e 3.279 encaminhadas para a emissão da carteira profissional. O Sine de Belford Roxo fica na Avenida Benjamin Pinto Dias 1305, no Centro e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Segundo o secretário de Trabalho e Emprego, Jadir Elias, diariamente, o órgão atende a cerca de 400 pessoas. “Nesse espaço oferecemos serviços como requerimento do seguro desemprego, intermediação de mão de obra, cadastro e consulta para vagas de emprego, pesquisa do Programa de Integração Social (Pis) e do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), realiza o encaminhamento da carteira profissional de trabalho, além de promover cursos profissionalizantes”, informou o secretário.

A fim de dar atenção específica aos jovens, o secretário-executivo de Juventude, Jadir Elias Filho, ressaltou que o Sine conta ainda com o Programa Jovem Aprendiz, que insere jovens de 14 a 24 anos no mercado de trabalho. Os amigos Jhemely Victorino, 19, Bianca Souza e Marlom Luiz ambos de 21 anos, se inscreveram no Programa. “No começo, não estávamos acreditando que iríamos conseguir. Mas voltamos para buscar o nosso encaminhamento. Podemos dizer que o serviço funciona”, contaram os jovens.

Para se cadastrar, os interessados devem se dirigir ao Sine, na de BeAvenida Benjamin Pinto Dias 1305, no Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, munidos de identidade, CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho e o número do Pis. “Realizamos o cadastro com os dados pessoais e profissionais. As empresas informam no portal os seus perfis específicos e, caso o candidato tenha as qualificações exigidas em pelo menos 75% delas, a carta sai automaticamente. A grande dificuldade encontrada é a falta de qualificação profissional”, disse Adriano.

Aloma Carvalho