Show de Roberto Carlos na inauguração da Riosampa, em 1990, foi parar na Justiça. Geraldo Perelo homenageia o Rei

abril 19, 2021 /

*Paulo Cezar Pereira

O cantor Roberto Carlos, que festeja 80 anos hoje, quase não subiu ao palco na inauguração da casa de espetáculos Riosampa na noite de 6 de dezembro de 1990.  Uma disputa política entre os “caciques” da política iguaçuana Nelson Bornier, deputado federal à época, e o então prefeito Aluísio Gama, acabou judicializada. Tudo porque um laudo da Prefeitura de Nova Iguaçu condenava a construção da Riosampa nas proximidades de um posto de gasolina e às margens da via Dutra.

Observado por Lauro Ghiel, Roberto Carlos descerra a placa de inauguração da Riosampa ( reprodução do Jornal de Hoje)

Bornier, amigo de Lauro Ghiel, mobilizou o então vice-governador Francisco Amaral e o jurista Luiz Carlos Guimarães, ambos com forte influência no Tribunal de Justiça. A inauguração com o show inesquecível do “Rei “Roberto Carlos, com a casa lotada, só foi confirmada com a chegada de uma liminar assinada por um desembargador minutos antes no início daquela noite.

Perelo também homenageia o Rei

Outro personagem da história dos 80 anos de Roberto Carlos é o jornalista Geraldo Perelo.  A pedido do Nova Iguassu Online, Perelo fez um pequeno texto e mandou uma foto em que, ainda “foca”, entrevista o nosso “Rei”.

Perelo entrevista Roberto Carlos quase  meio século atrás no Esporte Clube Iguaçu.

“Roberto Carlos marcou, e muito, um dos momentos mais importantes de minha vida. Tive o privilégio, ao lado do repórter-fotográfico Cláudio Passos, de entrevistá-lo, ainda “foca” no jornalismo, no Esporte Clube Iguaçu, em 1974, onde se apresentaria momentos depois para uma plateia seleta de iguaçuanos convidados.
Afinal, eu estava diante um artista, exemplo de sedução, romantismo e simplicidade, e que alavancava uma das mais brilhantes carreiras musicais que o Brasil e o mundo já testemunhou.
Foi para mim algo de sensacional poder escrever sobre o maior cantor romântico do país de todos os tempos, já àquela época embalando amores alheios. Era um artista de paixões fulminantes.
Mas, naquela minha tarde histórica, de 74, também percebi que o amor entre o Rei e Nice Rossi, com quem havia se casado em 1968, estava ruindo. Ele pediu a ela, que o acompanhava, que não se sentasse na primeira fila da plateia. E o casamento, de fato, acabou de forma amigável, cinco depois, em 1979.”

 

*Paulo Cezar Pereira é jornalista e fã de Roberto Carlos desde os anos 60.

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.