Saúde estadual lança campanha para reforçar vacinação contra sarampo e poliomielite

setembro 13, 2018 /

A Secretaria de Estado de Saúde lança nesta quinta-feira (13) a campanha “Tchau Sarampo, Tchau Pólio”, que tem o objetivo de reforçar a necessidade da vacinação durante a infância e prorrogar a imunização contra as duas doenças no estado do Rio de Janeiro.  As crianças entre 1 ano e menores de cinco anos terão até o sábado (22) para serem imunizadas contra a poliomielite e o sarampo. Nesta data, a SES, em parceria com os municípios que não atingiram a meta de cobertura, vai promover um novo Dia D.

Até a última quarta-feira (12), a cobertura no estado é de 79% contra a poliomielite e de 80% contra o sarampo. O objetivo é que 95% do público-alvo esteja imunizado. Todas as crianças de um ano a cinco anos incompletos devem se vacinar, mesmo que já tenham duas doses da vacina.

– Decidimos promover esta campanha porque, além de imunizar contra a pólio e o sarampo, queremos chamar a atenção para a importância da vacinação durante a infância. Conseguimos afastar doenças graves no Brasil com a inclusão das vacinas em nosso calendário anual. A vacina continua sendo um método seguro e imprescindível para a proteção de nossos filhos – explicou o secretário de estado de Saúde, Sérgio Gama.

Durante o Dia D, a SES vai contar também com a parceria do Corpo de Bombeiros, que abrirá alguns dos quarteis para ajudar na imunização.

– Temos uma boa cobertura contra poliomielite e sarampo, no entanto, estamos observando uma gradativa diminuição na cobertura vacinal não só no estado do RJ, mas no país inteiro. Nosso desafio é reverter este quadro propagando a informação correta e derrubando qualquer notícia falsa sobre a segurança e eficácia das vacinas – informou Alexandre Chieppe, médico da SES.

 

Poliomielite

A vacina contra a poliomielite é segura e protege contra os dois sorotipos do poliovírus 1 e 3. Crianças com comprometimento imunológico devem ser avaliadas antes de tomar a vacina. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil está livre da poliomielite desde 1990, portanto é fundamental que a população procure a vacina.

Sarampo

Este ano, 18 casos de sarampo foram confirmados no estado do Rio de Janeiro, sendo 15 na cidade do Rio, dois em Duque de Caxias e um em Niterói. A Secretaria Estadual de Saúde vem trabalhando em parceria com os municípios, inclusive realizando vacinação de bloqueio.

Sobre as vacinas

Seguindo o Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde, a recomendação para a proteção contra a poliomielite é de 3 doses da VIP (Vacina Inativada Poliomielite) até 1 ano de idade. A partir de um ano de idade até menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a VOP (Vacina Oral Poliomielite), a gotinha. Sobre o sarampo, essas crianças também receberão uma dose da vacina Tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, independentemente da situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

A proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças entre 12 e 15 meses. Devem ser vacinadas as crianças a partir de um ano e 4 anos 11 meses e 29 dias, mesmo que já tenham duas doses.

Foto:Divulgação/Internet

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.