Rio de Janeiro - 22-03-2018 - RIO RURAL Foto: Carlos Magno

Programa Rio Rural beneficia mais de 45 mil produtores fluminenses

março 23, 2018 /

O programa Rio Rural, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, já beneficiou mais de 45 mil produtores familiares em 373 microbacias de 78 municípios fluminenses, com incentivos para a adoção de práticas sustentáveis, harmonizando a produção de alimentos e a recuperação ambiental. Os números foram apresentados nesta quinta-feira (22), durante evento no Palácio Guanabara em comemoração ao Dia Mundial da Água. O programa exitoso, realizado em parceria com o Banco Mundial, já é também responsável pela proteção de 8.390 nascentes nas áreas rurais.

– Este é um programa que tem colhido resultados efetivos, com números muito expressivos. Queremos dar continuidade ao Rio Rural para que todo o trabalho alcançado até agora tenha prosseguimento e siga fazendo a diferença na vida dos nossos produtores – afirmou o governador Luiz Fernando Pezão.

Segundo o secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo, o Rio Rural tem se consolidado como referência, inclusive para organizações como a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), ao incentivar a produção rural sustentável. Já foram investidos US$ 180 milhões na iniciativa desde 2007.

– O alcance deste programa fez com que a produção do pequeno agricultor familiar tivesse escala. Os produtos primários foram transformados em produtos industrializados com bastante valor agregado. O Estado do Rio é hoje o segundo maior produtor de cachaça do Brasil, o segundo maior produtor de flores de corte, e também somos destaque na produção de orgânicos no país. E uma das contrapartidas é a preservação da água – disse Christino Áureo.

De acordo com o secretário de Agricultura, Jair Bittencourt, está prevista a aplicação este ano de cerca de R$ 120 milhões pelo programa em projetos individuais e coletivos, contemplando produtores e contribuindo para o aumento da eficiência produtiva e competitividade da produção agropecuária. O incentivo também vai auxiliar as ações de preservação como a proteção dos solos e dos mananciais.

– É um grande orgulho celebrar o programa Rio Rural. Este ano, teremos mais de 120 milhões aplicados diretamente na produção rural – ressaltou o secretário.

Produtores comemoram resultados

O agricultor Gustavo Aronovick, que comercializa produtos orgânicos processados como geleias, molhos e conservas no Brejal, em Petrópolis, na Região Serrana, é um dos beneficiados pelo programa.

– Através do Rio Rural recebemos insumos e equipamentos que ajudam a produzir e proteger a biodiversidade e os recursos hídricos. Ao invés de usarmos, por exemplo, um agrotóxico podemos combater as formigas (praga) com defensores biológicos. Outro exemplo: temos que instalar fossas sépticas, ecologicamente corretas. O programa incentiva a custo zero a instalação destas fossas. Isso faz com que preservemos os rios que deixam de receber esgoto in natura – explicou o produtor rural.

Para Luis Carlos dos Santos Barros, diretor da Cooperativa de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Italva (Copafi), o programa foi fundamental na região.

– Fabricamos iogurtes, leites, queijos, entre outros produtos. Estamos muito satisfeitos com o apoio do Rio Rural em projetos individuais e coletivos, que beneficiaram tanto os nossos produtores de leite quanto a nossa associação. Com os recursos recebidos, investimos na aquisição de tanques de resfriamento de leite e equipamentos para o processamento do leite e seus derivados na nossa cooperativa – contou.

Rio Rural

O Rio Rural atua em microbacias – espaços geográficos formados por redes de córregos e rios que abastecem as cidades. Nestes locais, vivem famílias rurais que utilizam os recursos naturais para seu sustento e para a produção de alimentos. O programa estimula a formação de grupos produtivos rurais, com foco na autogestão de suas associações e a adoção de boas práticas.

Isso é feito por meio de projetos coletivos, que têm apoio técnico e financeiro, para desenvolver as diversas cadeias agrícolas, incluindo também pequenas agroindústrias familiares e artesanato. Dessa forma, o programa agrega valor à produção familiar e ajuda a qualificar o trabalho no campo.

Aloma Carvalho