Profissionais de saúde de Queimados recebem capacitação sobre hanseníase

dezembro 14, 2017 /

Com o objetivo de capacitar cada vez mais os profissionais da área da saúde, a Prefeitura de Queimados realizou nesta quinta-feira (14), na sede da Vigilância em Saúde, uma palestra sobre a Hanseníase, doença infecciosa crônica e curável que causa lesões de pele e danos aos nervos. A capacitação faz parte do trabalho do governo municipal relacionado à prevenção e tratamento da patologia, que soma 24 pessoas diagnosticadas na cidade. Foi nos bairros Campo da Banha, Belmonte e Porteira onde se encontrou maiores indícios de manifestação do vírus.

Durante a palestra, profissionais da saúde aprenderam sobre a história da doença e como ela era vista antigamente, a forma que se manifesta no nervo e o tratamento. Para a Secretária Municipal da Saúde, Drª Lívia Guedes, essa capacitação facilitará o atendimento dos pacientes. “Os profissionais poderão identificar os sinais e possíveis sintomas dessa patologia e, assim, poderão orientar e encaminhar para o atendimento com o especialista”, declarou.

Foto: Aline Lopes/Divulgação

Técnica de enfermagem na Clínica da Família Miguel Luiz de Carvalho, Stephanie Ximenes, de 29 anos, aprovou a iniciativa da Prefeitura em fornecer essa capacitação. “Nunca tive uma aula específica sobre a Hanseníase, estou achando muito interessante e aprendendo várias coisas para aplicar no meu local de trabalho”, disse.

A Prefeitura de Queimados disponibiliza a todos pacientes com hanseníase um local especifico para o tratamento, inclusive com medicamentos gratuitos, localizado na Avenida Irmãos Guinle, 673, no centro da cidade. O espaço funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h.

De acordo com a Coordenadora do Programa de Hanseníase, Juçara de lima, a capacitação é muito importante, tanto para o profissional, quanto para o paciente, pois facilitará o atendimento dos mesmos. “O tratamento varia de 6 meses a 1 ano, dependendo da gravidade de cada paciente e se ele faz o uso do medicamento corretamente. Além disso, é de grande importância que todos os familiares da pessoa diagnosticada com a doença faça o exame, pois o vírus é contagioso. Sendo transmitido através da respiralão”, concluiu.

Aloma Carvalho