ABI afirma que declaração de Bolsonaro agride jornalista da Folha de São Paulo

fevereiro 18, 2020 /

Após Jair Bolsonaro insultar, com insinuações sexuais, a repórter Patrícia Campos Melo, da Folha de São Paulo, nesta terça-feira (18), Paulo Jerônimo de Sousa, presidente da Associação Brasileira de Imprensa emitiu uma nota repudiando a atitude do Presidente da República.

Na nota, Paulo diz que a declaração de Bolsonaro “é ofensiva e agride, de forma covarde, a jornalista”.

Jair Bolsonaro, disse que “Ela (a repórter) queria um furo. Ela queria dar um furo a qualquer preço contra mim”.

A declaração de Bolsonaro foi uma referência ao depoimento de Hans River, ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa pelo aplicativo WhatsApp, dado semana passada à COMI das Fake News.

Confira a nota do Presidente da ABI na integra:

“Nesta terça-feira, mais uma vez, para vergonha dos brasileiros, que têm o mínimo de educação e civilidade, o presidente da República, Jair Bolsonaro, é ofensivo e agride, de forma covarde, a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo.

Este comportamento misógino desmerece o cargo de Presidente da República e afronta a Constituição Federal.
O que temos visto e ouvido, quase cotidianamente, não se trata de uma questão política ou ideológica. Cada dia mais, fica patente que o presidente precisa, urgentemente, de buscar um tratamento terapêutico.

A ABI conclama a sociedade brasileira a reagir às demonstrações do “Cavalão”, como era conhecido Bolsonaro na caserna, e requer à Procuradoria Geral da República que cumpra o seu papel constitucional, denunciando a quebra de decoro pelo ex-capitão Jair Bolsonaro.

Paulo Jeronimo de Sousa
Presidente da Associação Brasileira de Imprensa”

Aloma Carvalho