Presidente Bolsonaro recebe alta e, na saída de hospital, defende voto ‘auditável’

julho 18, 2021 /

O presidente Jair Bolsonaro — Foto: Reprodução/Twitter

Em nota, a secretaria especial de comunicação informou que ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica que o assiste

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu alta na manhã deste domingo após quatro dias internado na capital paulista com o diagnóstico de obstrução intestinal.

Bolsonaro chegou em São Paulo quarta-feira à noite, após ser transferido do Hospital das Forças Armadas, em Brasília, onde foi constatada a obstrução intestinal. O quadro ocorre quando há bloqueio de parte do intestino, o que impede o funcionamento normal do sistema digestivo ou a passagem das fezes.

Em nota, a secretaria especial de comunicação informou que ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica que o assiste.

Voto “auditável”

Após ter alta do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o uso de medicamentos não comprovados para tratamento da covid-19. Bolsonaro disse que o país está há dois anos e meio sem corrupção e fez novamente defesa pelo voto “auditável”.

“Eu não entendo por que não querem voto auditável. Será que esse voto eletrônico que é usado no mundo todo, é tão confiável assim? Nós queremos transparência nas eleições. Não existem eleicões sem transparência, isso é fraude”, afirmou ele, que falou com a imprensa na saída da unidade hospitalar e também teceu defesa do voto impresso.

Sobre a denúncia de que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello prometeu comprar Coronavac q preço três vezes maior, Bolsonaro disse que Brasília é o “paraíso dos lobistas” e que todos “pressionavam por vacinas”. Por isso, argumentou, muitas pessoas foram recebidas no ministério.“Aquele pessoal se reuniu com o diretor responsável por possíveis compras lá no ministério e na saída ele conversou com o pessoal. Se fosse algo secreto, negociando algo superfaturado, ele estaria dando entrevista? Estaria escondidinho lá no porão do ministério”, disse ele.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.