Plano estratégico incrementa turismo na Baixada Verde

março 12, 2018 /

O Governo do Estado finalizou o Plano Estratégico do Turismo da Baixada Verde. O estudo – realizado através da Secretaria de Turismo em parceria com o Sebrae-RJ – irá incrementar o turismo desta região. O projeto foi realizado nos dez municípios que compõem a Baixada Verde: Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados, São João de Meriti e Seropédica. O secretário de Turismo, Nilo Sergio Felix, traz mais detalhes sobre o plano.

Segundo o secretário de Estado de Turismo, Nilo Sergio Felix, o projeto aumenta consideravelmente as chances de sucesso da consolidação da atividade turística dos dez municípios da baixada fluminenses. “Ele permite uma melhor identificação e exploração das oportunidades de mercado, agiliza a tomada de decisões e de reconhecimento de problemas futuros e ainda cria mecanismos de avaliação e controle para o desenvolvimento do turismo”, afirmou.

O principal objetivo do Plano Estratégico é traçar metas, usando os recursos disponíveis de forma eficiente. Os eixos estratégicos propostos no trabalho, alinhados às respectivas ações, com o objetivo de colocar a Baixada no ranking das regiões turísticas mais visitadas do estado. “As estratégias adotadas no processo são baseadas em dois níveis: o estratégico e o tático. O primeiro estabelece as bases, que são a missão, visão e eixos estratégicos para os próximos cinco anos (2018-2022). Já o segundo nível, associa os eixos às ações e estabelece indicadores de monitoramento”, disse o secretário.

De acordo com Felix, no final do ano passado, a Câmara Metropolitana constatou que a Região Metropolitana do Rio de Janeiro mantém 36,27% de seu território verde conservado, e que 1/3 dessa área, ou seja, cerca de 11%, está na Baixada. “Por isso, resolvemos de comum acordo com os secretários de Turismo desses municípios, alterar o nome de Baixada Fluminense para Baixada Verde. Essa denominação gera mais visibilidade para posicionar o local no cenário do turismo estadual de forma renovada, uma vez que lá são encontrados parques, reservas ambientais e estações ecológicas com forte potencial turístico. Esse estudo vai auxiliar muito os gestores a trabalharem melhor o turismo nos seus respectivos municípios”, ressaltou.

Aloma Carvalho