Partidos já indicaram senadores titulares e suplentes para CPI da Pandemia

abril 14, 2021 /

Os partidos já indicaram os 11 senadores titulares e os sete suplentes da CPI da Pandemia, criada para investigar eventuais omissões do governo federal durante o enfrentamento à Covid-19. Os nomes dos indicados estão sujeitos a alteração pelos blocos partidários, mesmo durante o funcionamento CPI.O presidente e o relator ainda não foram anunciados.

Veja a lista:

Titulares

*Eduardo Braga (MDB-AM)
*Renan Calheiros (MDB-AL)
*Ciro Nogueira (PP-PI)
*Otto Alencar (PSD-BA)
*Omar Aziz (PSD-AM)
*Tasso Jereissati (PSDB-CE)
*Eduardo Girão (Pode-CE)
*Humberto Costa (PT-PE)
*Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
*Marcos Rogério (DEM-RO)
*Jorginho Mello (PL-SC)

Suplentes

*Jader Barbalho (MDB-PA)
*Luis Carlos Heinze (PP-RS)
*Angelo Coronel (PSD-BA)
*Marcos do Val (Pode-ES)
*Rogério Carvalho (PT-SE)
*Alessandro Vieira (Cidadania-SE)
*Zequinha Marinho (PSC-PA)

Formação do colegiado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), leu nesta terça-feira (13) o ato de criação da CPI da Pandemia. Com a medida, ficou autorizada a formação do colegiado, destinado a apurar as ações e eventuais omissões do governo federal durante o enfrentamento à Covid-19.

O requerimento da comissão, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirma que tem o objetivo de “apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados” nos primeiros meses de 2021.

Durante a leitura, Pacheco informou que, além do proposto por Randolfe Rodrigues, a CPI também poderá apurar eventuais irregularidades em estados e municípios, conforme proposta do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), desde que “limitado às fiscalização de recursos da União repassados aos demais entes federados para combate da pandemia”.

     

    Paulo Cézar

    PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.