Operação da Polícia Civil : 4 pessoas são mortas e mais de 200 são presas por roubo, receptação e assalto com morte em todo estado

agosto 25, 2020 /

 

Mais de 500 policiais civis estão desde a madrugada de hoje ( 25/08) nas ruas das 92 cidades do estado do Rio de Janeiro cumprindo quase uma centena de mandados de prisões, buscas, e apreensões numa megaoperação que não tem hora para terminar. Até o momento, quatro pessoas morreram e mais de 200 foram presas. Os policiais miram suspeitos de roubo, receptação e latrocínio. Batizada de Espoliador III, a ação visa a cumprir mandados de prisão expedidos pela Justiça para inquéritos de diversas delegacias, além de um levantamento feito pela Polinter. Duas das mortes ocorreram em Resende, no Sul Fluminense, e outras duas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Armas e produtos roubados foram apreendidos.Por conta da determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) nenhuma das prisões ocorreu em comunidade.

As investigações concluíram que a maior parte dos roubos é patrocinada por traficantes de drogas e milicianos. Eles emprestam armas para os assaltantes. De acordo com um levantamento da Polícia Civil, tráfico e milícia são responsáveis por cerca de 79% dos roubos de veículos praticados na capital; 73% em municípios da Baixada Fluminense; e 84% em Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana. Em relação aos roubos de cargas, as facções criminosas e os paramilitares têm participação em pelo menos 65% dos roubos na capital, 64% na Baixada e 62% em Niterói e São Gonçalo.

No ano passado, a Polícia Civil indiciou 12 587 autores de roubos e prendeu 2 135 pessoas. Em 2020, com a pandemia de covid-19 e um maior número de pessoas em isolamento social, o Instituto de Seguran…

Além dos assaltantes, há mandados de prisão também contra receptadores. São eles que adquirirem os produtos roubados, estimulando, assim, os roubos. E também contra os suspeitos de latrocínio.

– Muitas vezes, no momento do roubo, o criminoso acaba matando a vítima. Muitos desses bandidos fazem parte de organizações criminosas que são responsáveis por boa parte dos crimes no estado. A prisão dessas pessoas vai impactar na redução da criminalidade, que já está caindo em todo o estado – disse o delegado Felipe Curi, subsecretário operacional da Polícia Civil.

Participam da operação – que começou a ser planejada há dois meses – equipes dos departamentos gerais de Polícia da Capital (DGPC), da Baixada Fluminense (DGPB), do Interior (DGPI), de Polícia Especializada (DGPE) e de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP).

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.