Novo mapa: RJ permanece em bandeira amarela com baixo risco; Rússia aprova sua terceira vacina contra a Covid-19

fevereiro 20, 2021 /

Região Noroeste e Centro-Sul apresentam bandeira laranja, de risco moderado

 

A 18ª edição do Mapa de Risco da Covid-19 mostra que a situação da pandemia se encontra em baixo risco (amarelo) em sete regiões do Estado do Rio de Janeiro: Baía da Ilha Grande, Médio Paraíba, Metropolitana I, Metropolitana II, Serrana, Baixada Litorânea e Norte. Apenas as regiões Noroeste e Centro-Sul estão em bandeira laranja (moderado). No geral, o Estado do Rio se mantém em bandeira amarela. A análise compara a semana epidemiológica 05 (de 31 de janeiro a 06 de fevereiro) com a 03 (de 17 a 23 de janeiro) de 2021.

 

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

 

O Rio de Janeiro apresentou uma redução do número de óbitos (-59%) e de casos de internações por síndrome respiratória aguda grave (-35%) na comparação do período analisado. As taxas de ocupação de leitos no estado se mantiveram baixas. Nesta sexta-feira (19.02), esse índice está em 58,2% para leitos de UTI e em 40,7% para leitos de enfermaria. Os resultados dos indicadores devem auxiliar na tomada de decisão dos gestores públicos, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

 

Enfrentamento à Covid-19 – A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que, até o momento, recebeu do Ministério da Saúde (MS) 1.040.320 doses da vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CorovaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca. Até quinta-feira (18.02), haviam sido entregues 842.890 doses aos 92 municípios.

 

Nesta sexta-feira (19.02), um lote com 193.500 doses do imunizante começou a ser distribuído. Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e Maricá foram os primeiros a retirar as doses do imunizante, na Coordenadoria Geral de Armazenamento (CGA), com escolta da Polícia Militar. Para os outros 88 municípios, a entrega será realizada na próxima segunda-feira (22.02), a partir das 7h, por quatro aeronaves. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

 

Balanço vacinação – A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que, até as 20h desta sexta-feira (19.02), 92 municípios registraram 425.726 pessoas imunizadas contra a Covid-19 no estado. O balanço foi realizado por meio de busca ativa, a partir da gerência de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, junto às coordenações/gerências de imunização dos 92 municípios do estado. O balanço é atualizado diariamente e pode ser acompanhado pelo Portal Covid (https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/vacinometro).

 

Resolução conjunta Saúde e Educação – Uma resolução conjunta das secretarias de Saúde e Educação foi publicada no último dia 26, com diretrizes para a retomada segura das aulas presenciais de alunos, professores e funcionários desses estabelecimentos no Estado do Rio de Janeiro. A normativa estabelece regras para as unidades escolares estaduais e orientação às redes municipais e privadas, vinculadas à Seeduc-RJ. Em casos de bandeiras roxa ou vermelha no município, não deve haver ensino presencial. Nos casos de bandeiras de risco laranja, amarela e verde, foram estabelecidos quantitativos máximos de atendimento presencial, levando em consideração a capacidade da unidade escolar. O mapa é atualizado todas as sextas-feiras e pode ser acompanhado no Painel Covid (http://painel.saude.rj.gov.br/monitoramento/covid19.html).

Rússia aprova sua terceira vacina contra a Covid-19

 

Uma pessoa recebe uma injeção com a vacina Sputnik V em um hospital na vila de Donskoye, na Rússia

A Rússia aprovou, neste sábado, uma terceira vacina contra a Covid-19 para uso doméstico, afirmou o primeiro-ministro Mikhail Mishustin na TV estatal, embora os ensaios clínicos em grande escala do imunizante, rotulado CoviVac e produzido pelo Centro Chumakov, ainda não tenham começA Rússia já aprovou duas vacinas contra a Covid-19, incluindo a Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou, que seguiu uma abordagem semelhante de aprovação antes de apresentar qualquer resultado de teste em estágio final.
A Sputnik V foi aprovada em agosto e os testes em estágio final começaram em setembro. A vacinação em massa iniciou em dezembro, depois que resultados preliminares mostraram que a vacina apresentou 91,4% de eficácia.

Desde então, mais de dois milhões de russos foram vacinados com pelo menos a primeira dose do imunizante, disse o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, em 10 de fevereiro.

A vacinação com um segundo imunizante, desenvolvido pelo Vector Institute em Novosibirsk, está começando.

O Centro Chumakov, no qual a terceira vacina russa aprovada foi produzida, foi fundado em 1955 em São Petersburgo por Mikhail Chumakov, e é conhecido por seu trabalho com o cientista norte-americano Albert Sabin no auge da Guerra Fria, que levou à produção da amplamente usada vacina contra a poliomielite.

Ao contrário da Sputnik V, que usa um vírus do resfriado inofensivo modificado, que induz o corpo a produzir antígenos para ajudar o sistema imunológico a se preparar para uma infecção por coronavírus, a vacina CoviVac é uma vacina feita de um coronavírus que foi inativado ou que perdeu sua capacidade de se replicar.

— A vacina que desenvolvemos reflete toda a história russa da ciência das vacinas, bem como a global — disse o diretor do Centro Chumakov, Aidar Ishmukhametov, neste sábado.

A CoviVac é administrada em duas doses, com 14 dias de intervalo. Ela deve ser transportada e armazenada em temperaturas normais de geladeira, de 2 a 8 graus Celsius, afirmou a vice-primeira-ministra Tatiana Golikova, em um comunicado do governo em janeiro.

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.