Mapa de Risco Covid-19: estado do Rio de Janeiro mantém bandeira laranja

junho 12, 2021 /

Cenário epidemiológico melhora em seis regiões e as outras três permanecem com os mesmos parâmetros; cinco regiões estão com bandeira amarela


A 34ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (11/06) pela Secretaria de Estado de Saúde, mostra que o Estado do Rio de Janeiro se mantém em bandeira laranja (risco moderado de contrair a doença) com melhora do cenário epidemiológico em seis regiões. Médio Paraíba, Centro-Sul, Serrana e Baixada Litorânea, que estavam com bandeira laranja na última análise, passam para a amarela (risco baixo de contrair a doença); e Metropolitana I e Baía da Ilha Grande, que estavam com bandeira vermelha (risco alto), estão agora com bandeira laranja. As regiões Noroeste (bandeira vermelha), Metropolitana II (laranja) e Norte (amarela) permanecem com o mesmo cenário.


A análise compara a semana epidemiológica 21 (23 a 29 de maio) com a 19 (09 a 15 de maio) de 2021.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 28% no número de óbitos, e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 25% na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas. As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (11), são 76% para leitos de UTI e 54% para leitos de enfermaria.

Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.