Lira vence eleição e se torna presidente da Câmara em primeiro turno, mas oposição vai ao STF

fevereiro 2, 2021 /

O presidente Jair Bolsonaro foi vencedor no Senado com a vitória de Rodrigo Pacheco e na Câmara com a de Artur Lira(foto)

 

O primeiro ato de Arthur Lira (PP-AL) como novo presidente da Câmara já dividiu os parlamentares da Casa na madrugada de hoje, logo após o anúncio de que ele anulava, a partir de então, a decisão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) que aceitou o registro do bloco de apoio a Baleia Rossi (MDB-SP), seu principal adversário, convocando uma nova eleição para a Mesa Diretora da Casa para amanhã, às 16h.

Na prática, a decisão do novo presidente tira da Mesa Diretora alguns partidos do bloco composto por PT, MDB, PSDB, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede, partidos que apoiaram a candidatura de Rossi. Além disso, o PT deve perder o direito à 1ª secretaria.

O deputado Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, venceu a disputa pela Presidência da Câmara, na noite desta segunda-feira (1º/2). Ele derrotou Baleia Rossi (MDB-SP), que era a principal aposta da oposição para impedir que um governista chegasse ao comando da Casa. Lira fica no cargo pelos próximos dois anos, ocupando a cadeira deixada por Rodrigo Maia (DEM). Lira levou 302 votos dos 513 deputados, vencendo no primeiro turno. Rossi recebeu 145.

 

Vai parar no STF

O bloco foi registrado seis minutos após o fim do prazo determinado, mas acabou sendo aceito por Maia. Para o novo presidente da Câmara, o ato de seu antecessor causou “vício insanável” à eleição da Mesa. Em reação, os parlamentares foram às redes sociais protestar contra a atitude. Pouco depois, enviaram uma nota, assinada em conjunto, que o acusava de “afrontar as regras mais básicas de uma eleição” e de “colocar em sério risco a governabilidade da casa”.

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.