Lei Seca identificou quase 500 motoristas embriagados ao volante durante o Carnaval

fevereiro 15, 2018 /

 

A Operação Lei Seca reforçou as ações de fiscalização e conscientização durante o Carnaval e abordou, de sexta-feira (9/2) até terça-feira (13/2),  6.134 motoristas e identificou embriaguez em 499 – o que representa 8,1% do total de abordados. Vale chamar a atenção que este número equivale quase o dobro da média de todo o ano de 2017, que foi de 4,3%.

No Carnaval do ano passado 5.747 motoristas foram abordados pela Lei Seca e 451 apresentavam sinais de embriaguez, o que representou 7,8% do número total.

– O percentual de motoristas com sinais de alcoolemia ainda preocupa e é por isso, que a Lei Seca é incansável na missão diária de proteger e salvar vidas. Este ano o número de motoristas embriagados foi um pouco maior que no ano passado. Infelizmente o período de Carnaval é crítico e ainda registra um aumento de acidentes de trânsito em consequência do consumo de bebida alcoólica. Por isso, continuamos insistentemente pedindo à população que: Nunca dirija depois de beber! –  reforça o coordenador da Lei Seca.

Resultado da Lei Seca na Sapucaí

Este ano agentes da Lei Seca estiveram na Sapucaí nos quatro dias de desfile e realizaram 143 testes do bafômetro nos motoristas dos carros alegóricos antes de entrarem na passarela do samba. A Lei Seca também estará na Sapucaí no próximo sábado para o Desfile das Campeãs.O esquema especial da Lei Seca este ano contou com todo o efetivo de 250 agentes nas ruas, em 75 ações diurnas e noturnas em todo o estado do Rio de Janeiro.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.