Justiça eleitoral cassa diplomas do prefeito e do vice de Belford Roxo

março 7, 2018 /

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) cassou os diplomas do prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, e o do vice-prefeito, Márcio Cannela, por abuso de poder econômico nas últimas eleições. A juíza Elizabeth Saad tomou esta decisão ao julgar o pedido da 152ª Promotoria Eleitoral que ajuizou uma ação de investigação judicial eleitoral (AIJE) contra Waguinho, e Canella (ambos da Coligação Unidos para Mudar Belford Roxo) por irregularidades na arrecadação e gastos de recursos de campanha eleitoral.

Deputado estadual em segundo mandato, Waguinho foi eleito prefeito de Belford Roxo com 56,99% dos votos válidos (117.352). Na ação, ajuizada em 16 de dezembro, o MPRJ pede a cassação dos diplomas do prefeito e vice-prefeito.

De acordo com as investigações, os réus descumpriram normas da legislação eleitoral. Uma delas é que a movimentação financeira da campanha deve ser feita por conta bancária aberta para esse fim. Porém, antes da abertura da conta, os réus fizeram “vultuosos gastos” com material de propaganda.

O relatório de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE/RJ) apreendeu, em 3 de agosto de 2016, luxuoso material de propaganda dos candidatos. Mas a conta da campanha de Waguinho foi aberta apenas em 11 de agosto deste ano e começou a ser movimentada em 5 de setembro.

Segundo o documento do MPRJ, “observa-se que a realização dessas despesas antes da abertura da conta ‘extrapolam o universo contábil e possuem relevância jurídica para comprometer a moralidade das eleições’, atraindo a sanção prevista no artigo 30-A da lei das Eleições, ou seja, a cassação dos respectivos diplomas”.

Além disso, as investigações identificaram que os gastos com o material, de qualidade “luxuosa e sofisticada”, não foram contabilizados na movimentação financeira da campanha. Se assim tivessem sido, teria superado o limite de gastos para campanha para prefeito fixado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em R$ 805.781,62.

“A prática do ‘Caixa 2’ durante a campanha eleitoral deve ser severamente combatida pela Justiça Eleitoral, dadas as consequências nefastas à legitimidade das eleições”, destaca a ação do Ministério Público.

Waguinho e Cannela vão recorrer da decisão judicial.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.