Japeri inaugura Centro Especializado de Atendimento à Mulher nesta sexta-feira (5)

março 4, 2021 /

O combate à violência contra a mulher ganhará um reforço em Japeri: um Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam). Localizado anexo à Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos, o equipamento oferecerá gratuitamente atendimento social, psicológico e orientação jurídica para cidadãs em situação de violência doméstica.

Por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus, a cerimônia de inauguração não será aberta ao público, mas terá transmissão ao vivo na página do Facebook da Prefeitura de Japeri a partir das 14h30 desta sexta-feira (05). Na solenidade estarão presentes autoridades como o governador em exercício, Cláudio Castro, e o Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bruno Dauaire.

Para a prefeita Dr.ª Fernanda Ontiveros, a chegada do Ceam marcará um novo tempo no enfrentamento à violência contra as japerienses. “Me comprometi com esta causa porque sempre lutei pelo empoderamento feminino em todas as áreas. Apenas uma mulher que se sente segura tem saúde mental e física para estudar, trabalhar ou cuidar dos filhos com liberdade. Estou muito feliz por ver este projeto se tornar real em nossa cidade, que por muitos anos negligenciou os níveis alarmantes de agressões à população feminina”, declarou a gestora.

O Ceam funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e contará com uma equipe interdisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos, advogada, educadores e motorista. “Desde que assumimos a gestão municipal, recebi da prefeita Dr.ª Fernanda Ontiveros a missão de tirar o Ceam do papel em nossa cidade. Era uma demanda antiga e extremamente necessária ao combate da realidade vivida por muitas japerienses. É apenas o começo para as políticas públicas voltadas à população feminina da cidade”, declarou Rogério Sant’ana, gestor da pasta.

Para a Coordenadora do espaço, Mônica Sampaio, o funcionamento do Ceam possibilitará o fortalecimento da autoestima das vítimas de violência, contribuindo para que se tornem protagonistas de seus próprios direitos e ampliem o nível de entendimento sobre as relações de gênero. “Japeri sofreu durante décadas com a carência de políticas de proteção e segurança no enfrentamento dos diversos tipos de violência. Por isso, se tornou urgente uma atenção maior à uma rede de apoio que atenda às vítimas. Nós, mulheres, queremos usufruir do direito de sair vivas de um relacionamento e o Ceam tem papel fundamental na garantia deste direito”, afirmou a psicóloga, que milita pela causa há cerca de 10 anos.

De acordo com o Dossiê Mulher de 2019, do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP), Japeri figura – junto a Guapimirim -, como detentor dos maiores índices de violência contra a mulher no estado do Rio de Janeiro: 14,2 vítimas por grupo de 100 mil mulheres por residência.

Foto:Igor Lima/Divulgação

Aloma Carvalho