IGREJA CATÓLICA REÚNE 20 BISPOS E MAIS DE 150 PADRES PARA POSSE DE DOM GILSON, O BISPO COADJUTOR DA DIOCESE DE NOVA IGUAÇU

setembro 1, 2018 /

texto e fotos de Paulo Cezar Pereira

Milhares de pessoas vieram ao centro de Nova Iguaçu para participar da missa e do ato de posse canônica que marcaram o evento da chegada do Bispo Coadjutor da Diocese de Nova Iguaçu, o carioca Dom Gilson Andrade da Silva, à catedral de Santo Antônio de Jacutinga. Vinte bispos, mais de 150 padres, diáconos, leigos, freiras e outras lideranças prestigiaram a posse de Dom Gilson, que ao falar para os fiéis, após a missa festiva, pregou a humildade para ouvir e a fidelidade ao Papa Francisco. À posse dele, vieram também amigos da Espanha e da Argentina. No altar repleto de lideranças da Igreja Católica, estavam o Cardeal Primaz do Brasil ( e de Salvador ) e o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Murilo Kriger e Dom Orani Tempesta, além de bispos de diversas cidades brasileiras.

A catedral ficou lotada de padres, diáconos e outros fiéis. A solenidade foi transmitida, ao vivo, pela Redevida e pela Rádio Catedral

A família do novo bispo e sua  professora de catequese foram aplaudidas. Dom Adriano Hipólito, que faria 100 anos este ano, foi reverenciado pela multidão que lotou a catedral . Perseguido e humilhado pelos algozes que o sequestraram nos anos 70, Dom Adriano enfrentou o regime militar na defesa das posições que a Igreja Católica tomou como aliada do povo mais pobre da Baixada.

Todos os bispos da Regional Leste 1 e de v´rias cidades de outros estados participaram da missa de posse de Dom Gilson

Dom Luciano Bergamin, que só deixará o comando da Diocese de Nova Iguaçu quando fizer 75 anos de idade ( em 4  de maio de 2019) , falou do carinho dos fiéis por Dom Adriano ao dar as boas vindas ao seu futuro substituto, e o Vigário Geral da Diocese, padre Marcus Barbosa, emocionou-se ao falar de sua amizade com Dom Luciano e de sua admiração por Dom Adriano. Alunos do Instituto de Educação Santo Antônio foram chamados ao altar para entregar presentes a Dom Orani, a Dom Gilson e a Dom Murilo Kriger. A escolha do tema da homilia da missa de posse do novo bispo foi tirada de um texto do Evangelho de São João que fala do bom pastor e de suas ovelhas.

Dom Gilson asssina o termo de posse após a leitura da ata pelo padre Ricardo Nunes da silva

A missa reuniu, ainda, pastores de diversas denominações evangélicas. E o prefeito da cidade de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, que mora a 300 metros da catedral , só chegou 20 minutos após o início do cerimonial de posse para, em nome do poder público, dar as boas vindas ao novo bispo de seu município. Rogério não justificou o atraso. Em sua primeira saudação aos fiéis católicos da Baixada, o sorridente Dom Gilson destacou sua gratidão a Deus e ao Papa Francisco por ter sido chamado para exercer o ministério episcopal numa Diocese que compreende sete cidades da Baixada Fluminense, uma região que viu a Diocese de Nova Iguaçu surgir, 58 anos atrás,  com chegada de imigrantes depois da Segunda Guerra Mundial. “Minhas propostas pastorais: não fazer as minhas idéias, mas ouvir” resumiu Dom Gilson para, sem seguida, já com o cajado, descer do altar para uma recepção popular e receber os cumprimentos do clero.

Rogério Lisboa só chegou ao altar 20 minutos após o início da solenidade

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.