Hoje é o último dia para eleitor justificar ausência no primeiro turno das eleições

janeiro 14, 2021 /

Devido à pandemia,procedimento deveráser feito nos sites do TRE-RJ, TSE e no aplicativo do e-Ttítulo

 

Termina nesta quinta-feira, dia 14/01, o prazo para o eleitor justificar sua ausência no primeiro turno das eleições municipais, realizado em 15 de novembro. Já para os eleitores que estavam no exterior, o prazo para justificar é de até 30 dias após o retorno ao Brasil. Em decorrência da pandemia, a justificativa deverá ser realizada de forma remota, no site do Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-RJ), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no e no aplicativo do e-título.

Para realizar a justificava, o eleitor deverá entrar no site do TRE-RJ ou do TSE e preencher o formulário com uma descrição detalhada dos motivos de sua ausência no dia da eleição. Além disso, será necessário anexar ao menos um documento que comprove o motivo do não comparecimento. Já o aplicativo e-Título, poderá ser pode ser baixado no celular pelo Google Play e Apple Store.

O prazo para apresentar a justificativa de quem faltou ao segundo turno será dia 28/01. O procedimento a ser realizado é o mesmo feito para o primeiro turno como bilhetes de passagens ou atestado médico.

O eleitor que não justificar a ausência do voto terá os seguintes impedimentos: inscrever-se em concurso público; realizar prova para cargo ou função pública, participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, do Distrito Federal ou municípios, ou das respectivas autarquias; obter passaporte; obter a certidão de quitação eleitoral; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e pedir empréstimo nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, institutos e caixas de previdência social e estabelecimento de crédito mantido pelo governo.

Além disso, a ausência de justificativa poderá ocasionar a suspensão dos vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subseqüente ao da eleição.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.