Witzel: ‘ A interferência anunciada pelo presidente da República está devidamente oficializada. Estou à disposição da Justiça”.

maio 26, 2020 /

Um dos alvos da Operação Placebo – que investiga, a mando do STJ, denúncias de corrupção na construção de hospitais de campanha e a compra de equipamentos para o enfrentamento da Covid-19 no Rio -, o governador Wilson Witzel acaba de se manifestar sobre as ações de agentes da Polícia Federal de Brasília que cumprem mandados de busca e aprensão em vários endereços ligados a ele. São quase R$ 800 milhões para contratos emergenciais.

A Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão também na sede da organização social Iabas, em São Paulo. Bolsonaro deu parabéns à Polícia Federal ao chegar hoje, 26, ao Palácio do Planalto, ao se referir à investigação que envolve entre outros o governador do Rio, seu adversário político. Parlamentares estudam a convocação do Ministro da Justiça e da deputada Carla Zambelli , do PSL, uma espécie de assessora informal do governo, para que expliquem o vazamento, ontem(25),  da operação realizada pela PF.

Eis a nota do governador Witzel:

“Não há absolutamente nenhuma participação ou autoria minha em nenhum tipo de irregularidade nas questões que envolvem as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal. Estranha-me e indigna-me sobremaneira o fato absolutamente claro de que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada a mim, o que demonstra limpidamente que houve vazamento, com a construção de uma narrativa que jamais se confirmará.  A interferência anunciada pelo presidente da república está devidamente oficializada. Estou à disposição da Justiça, meus sigilos abertos e estou tranquilo sobre o desdobramento dos fatos. Sigo em alinhamento com a Justiça para que se apure rapidamente os fatos. Não  abandonarei meus princípios e muito menos o Estado do Rio de Janeiro”.

 
Wilson Witzel
Governador do Estado do Rio de Janeiro

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.