Garotada faz o dever de casa e Flamengo vence o Nova Iguaçu

março 3, 2021 /

O atacante Rodrigo Muniz  (foto)deu muito trabalho à defesa do Nova Iguaçu

 

Clébio Luiz

Mesmo não jogando bem – o desentrosamento foi visível -, o Flamengo venceu o Nova Iguaçu, na terça-feira (02), no Maracanã, por 1×0. O gol (diga-se de passagem, um golaço) foi marcado por Max, aos 48 minutos do segundo tempo. O treinado Maurício de Souza utilizou a garotada, pois a equipe titular entrou de férias.

A garotada do Flamengo mostrou muita disposição. Porém, desentrosada, teve dificuldade para vencer o bloqueio do Nova Iguaçu. Somente aos 13 minutos, Luiz Henrique, goleiro do Nova Iguaçu fez a primeira defesa em um chute fraco de Thiaguinho.

Sem jogadas ensaiadas, o Flamengo teimava em lançar bolas na áreas do Nova Iguaçu, facilitando o trabalho dos zagueiros. Aos 28, Rodrigo Muniz chuta fraco para a defesa de Luiz Henrique. O Nova Iguaçu não consegue sair da marcação do Flamengo. Aos 41, a melhor chance do rubro-negro:  Rodrigo Muniz aproveita a falha da defesa iguaçuana, invade a área e, em vez de chutar, tenta tocar para Ramon no lado esquerdo, mas o lateral não consegue chutar e a defesa se fecha. O primeiro tempo fraco não teve grandes emoções.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo, com o Flamengo desentrosado e tentando o gol. Logo aos 3 minutos, Thiaguinho chutou de longe e o goleiro Luiz Henrique espalmou. A equipe rubro-negra continua alçando bolas para a área d o Nova Iguaçu, que se fecha bem. Aos 21, o mesmo Thiaguinho tenta cruzar, a bola resvala na zaga e passa com perigo à direita do gol de Luiz Henrique.

Mas o Nova Iguaçu assustava de vez em quando. Aos 23, Luã dispara um chute forte de fora da área do Flamengo. A bola passa por todo mundo e sai à direita do goleiro Gabriel Batista. Aos 35, a equipe da Baixada Fluminense quase abriu o placar. Abuda chuta de longe, a bola faz uma curva e explode no travessão. O goleiro Gabriel Batista ficou só olhando e torcendo.

O Nova Iguaçu começou a acreditar que poderia ganhar o jogo.  Aos 47, Canela recebe nas costas de Ramon e chuta. O goleiro Gabriel Batista consegue abafar e fazer a defesa. O Flamengo deu o troco imediatamente A partida já estava no final, quando aos 48 minutos Lázaro toca para Max (que entrou no lugar de Daniel Cabral) pela esquerda. O meia chuta de primeira. A bola faz uma curva e entra no ângulo esquerdo do goleiro Luiz Henrique, que saltou, mas não conseguiu defender. O resultado ficou de bom tamanho para a equipe da gávea, que ainda precisa fazer muitos ajustes.

O Flamengo venceu com:  Gabriel Batista, Matheuzinho, Noga, Natan e Ramon, Gomes, Daniel Cabral (Max), Yuri (Matheus Lima), Thiaguinho (Gabriel Barros), Lázaro e Rodrigo Muniz.

O Nova Iguaçu formou com: Luis Henrique, Digão, Mezenga, Gilberto e Rafinha. Abuda, Vinícius Matheus (Vandinho), Anderson Künzel  (Dieguinho), Yan (Luã), Raphael Carioca (Ezequiel), Canela (Leonardo).

Foto: Twitter do Flamengo

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.