Fla empata com o Bragantino e deixa liderança escapar

fevereiro 8, 2021 /

 O Flamengo perdeu muitas chances de gols e acabou empatando

O Flamengo perdeu uma boa chance de ser líder no Campeonato Brasileiro ao empatar neste domingo ( 7) em 1×1 com o Bragança Paulista. Com o resultado, o rubro-negro pulou para 65 pontos contra 66 do Internacional. Porém, o time gaúcho ainda joga na quarta-feira. Gabigol de pênalti e Ytalo fizeram os gols da partida
Logo a um minuto o Flamengo aperta a saída de bola do Bragantino e obriga o goleiro Clayton a dar um chutão. Arrascaeta recupera a bola e toca de cabeça para Gerson, que sofre falta de Raul. Arrascaeta cobra para a fácil defesa de Clayton.
O Bragantino tenta se soltar, mas o Flamengo aperta e a movimentação de Bruno Henrique no ataque confunde a defesa paulista. Aos seis minutos, em um cruzamento na área do Bragantino, o zagueiro Ligger tira de cabeça e a bola resvala no braço do seu companheiro de zaga Léo Ortiz. Jogadores do Flamengo pediram pênalti, mas o árbitro mandou seguir o jogo.

Gol de pênalti
O Flamengo continua marcando e o Bragantino sente dificuldade em armar as jogadas. Mas, em uma bobeada da defesa rubro-negra, Artur avança pela direita e arremata forte. Hugo se atira e espalma pela linha de fundo. Na cobrança, Ytalo cabeceou com perigo por cima do gol.
Aos 17, Artur mata mal a bola na intermediária do Bragantino. Gerson rouba a bola, toca para Bruno Henrique, que tenta colocar a bola no ângulo, mas Léo Ortiz corta. Na sequência, Arrascaeta dribla na área e chuta para fora.
O Bragantino começa a se soltar e a levar perigo ao Flamengo. Aos 24, Claudinho cobra falta forte no meio do gol e Hugo defende. O rubro-negro responde rápido. Isla vai a linha de fundo e cruza da direita. Everton Ribeiro se infiltra e cabeceia com perigo à direita de Clayton. O Flamengo segue no ataque. Arrascaeta lança Gabigol na esquerda que chuta em cima da zaga e a bola vai por cima do gol. No escanteio, a defesa do Bragantino se enrola, Everton Ribeiro dá uma meia bicicleta. A bola sobra para Gustavo Henrique na cara do gol. Ele chuta fraco e Clayton defende.
Em um lance na área do Bragantino, o zagueiro Gustavo Henrique tem a camisa puxada. O árbitro consulta o VAR e marca pênalti. Gabigol bate no canto direito de Clayton e abre o placar.
O Bragantino vai ao ataque. Em uma falta cobrada dentro da área, Ytalo desvia de cabeça e quase marca. Aos 40, Bruno Henrique passa pela defesa, mas o goleiro Clayton consegue defender.

Falha de Isla

O segundo tempo mostra que o Flamengo iria continuar no ataque. Aos 6, Bruno Henrique cruza direto nas mãos de Clayton. Na sequência, Éverton Ribeiro tenta encobrir o goleiro Clayton, mas toca para fora. Aos 9, Aderlan aparece livre na área do Flamengo e chuta para fora.O Bragantino chegou ao empate aos 17. Em um lançamento para a esquerda, o lateral Isla não cortou. Helinho aproveita e cruza para trás. Ytalo vem na corrida e fuzila Hugo, que nada pôde fazer.
O Flamengo demonstra cansaço. Em uma boa jogada, Arrascaeta finaliza firme e Clayton defende. No rebote, Bruno Henrique chuta e a zaga alivia. Aos 29, Gabigol solta uma bomba de canhota e Clayton faz boa defesa.
O Bragantino se sustenta e busca os contra-ataques. Rogério coloca Pedro, Pepê, Vitinho e Mateuzinho e vai para o abafa. O Bragantino se defende bem. Aos 50, Mateuzinho desce pela direita e cruza. Pedro bate de primeira e Clayton defende. Foi o último ataque do Flamengo, que torce por um tropeço do Internacional nesta quarta-feira contra o Sport. Caso vença, o Colorado volta a abrir quatro pontos de vantagem.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.