Firjan discute hoje, em Nova Iguaçu, a insegurança do Arco Metropolitano com governador e prefeitos da Baixada

março 2, 2021 /

 

A Firjan apresenta, nesta terça-feira (2/3), às 9h, o Projeto Arco Seguro, idealizado pela federação para articular melhorias de conservação e de segurança ao Arco Metropolitano (BR-493), rodovia que interliga os polos industriais da Região Metropolitana e que reduz o tráfego de cargas pelas vias expressas da Capital.

A discussão da proposta ocorre durante o Fórum de Prefeitos e Secretários da Baixada Fluminense, promovido pelo governo do estado, e que vai contar com a presença do governador em exercício, Cláudio Castro; do presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano; e de demais autoridades e lideranças locais. O encontro de trabalho será na representação da entidade na BaixadA, à Rua Gérson Chernichard, 1231, Nossa Senhora das Graças, Nova Iguaçu.

Cláudio Castro e André Ceciliano

Inaugurado nos últimos dias do governo Dilma Roussef, o Arco Metropolitano do Rio, uma obra bilionária sob investigação judicial, está às escuras porque as placas de iluminação foram roubadas. Ao longo do Arco não há postos de serviços e os acessos às cidades da Baixada, especialmente a Seropédica e Nova Iguaçu, estão abandonados e com o mato tomando conta das pistas. Por tudo isto, nenhuma indústria se instalou até hoje no entorno da insegura estrada federal.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.