Firjan: Baixada abriu mais 2.867 novos postos de trabalho em junho

julho 31, 2021 /

A Baixada Fluminense abriu mais 2.687 novos postos de trabalho formais em junho deste ano, quase o dobro do saldo observado no mês de maio (+1.355) ao analisarmos, de forma agregada, todos os setores econômicos (indústria, comércio, serviços e agropecuária).

No acumulado do ano, o saldo foi de 8.408 contratações. A análise feita pela Firjan, a partir da plataforma Retratos Regionais, mostra ainda que Duque de Caxias possui o maior saldo positivo da região no acumulado de 2021 (+3.857). Já o segundo melhor desempenho regional fica com Belford Roxo (+882).

 

A análise específica da indústria da região mostra que, no acumulado do ano, o setor registra saldo positivo de 905 vagas de trabalho formais. Nova Iguaçu (+498) e Queimados (+306) representam os melhores resultados industriais da Baixada neste período. Os segmentos que impulsionaram estes números foram, respectivamente, a fabricação de produtos de minerais não metálicos (+454) e a construção civil (+419).

Números estaduais

A indústria do estado do Rio abriu mais 2.455 novos postos de trabalho formais em junho, mais que o dobro do saldo observado em maio (+1.150). No acumulado do ano, o saldo foi de 15.962 contratações. A análise feita pela Firjan, a partir da plataforma Retratos Regionais, mostra ainda que já foram reabertas 32 mil das 36,5 mil vagas da indústria fluminense fechadas de março a junho do ano passado, meses de maiores incertezas e restrições relacionadas à pandemia de Covid-19.

“A indústria fluminense encerrou o semestre com as contratações em alta. Importante também destacar que já foram reabertas quase nove em cada dez vagas perdidas de março a junho de 2020. Considerando o ritmo de recuperação, é bastante provável que o estoque de trabalhadores industriais pré-pandemia seja recuperado nos próximos meses no estado”, ressalta Rodrigo Santiago, presidente do Conselho Empresarial de Economia da Firjan.

Rodrigo acrescenta que o bom desempenho do mercado de trabalho da indústria fluminense está disseminado. Em junho, todas as regiões e 63 dos 92 municípios do estado apresentaram saldo positivo de contratações. No acumulado do ano, 70 cidades registraram saldo positivo, como, por exemplo, a Capital (+4.014) e Niterói (+1.289).

Entre os segmentos industriais, a Construção Civil seguiu como a maior contratante em junho no estado, com mais 841 postos de trabalho, seguida pela Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (+367), Indústrias Extrativas (+270) e Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos (+231). Esses setores também se destacaram no saldo do primeiro semestre. A Construção Civil registrou saldo acumulado de 6.662 em 2021, seguida por Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos (+2.756) e Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (+2.021).

Considerando todos os setores, o estado do Rio abriu 16.002 novos postos de trabalho em junho. Além da indústria, os setores de serviços (+9.060), comércio (+4.097) e agropecuária (+390) também registraram saldo positivo. Esse foi o segundo melhor desempenho do mercado de trabalho fluminense no ano e, pelo segundo mês consecutivo, o Rio de Janeiro foi o terceiro estado que mais abriu vagas com carteira assinada no país. No acumulado do ano, já foram abertos 64.418 novos postos de trabalho no estado, distribuídos entre serviços (+39.614) – principalmente por conta das atividades ligadas à saúde – indústria e construção (+15.962), comércio (+5.689) e agropecuária (+3.154).

 Plataforma Retratos Regionais

A plataforma Retratos Regionais da Firjan tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais.

Em painel regional, que também permite a busca por município, é apresentado o cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores. A plataforma pode ser acessada através deste link: www.firjan.com.br/retratosregionais.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.