Estado paga R$ 22 milhões pendentes de RAS e PROEIS nesta sexta-feira

fevereiro 8, 2018 /

O governador Luiz Fernando Pezão anunciou que o Estado pagará, nesta
sexta-feira (09), R$ 13.819.300,64 pendentes do Regime Adicional de
Serviço (RAS) e R$ 8.456.325,57 restantes do Programa Estadual de
Integração na Segurança (PROEIS) das polícias Civil e Militar. Já as
gratificações referentes ao Sistema Integrado de Metas (SIM), num valor
total de R$ 76.982.476,84, serão depositadas em quatro parcelas, sempre no fim no mês, a partir de fevereiro.

Pezão autorizou também a retomada do pagamento de horas extras feitas por
policiais, o RAS, e do SIM. Serão liberados R$ 8 milhões por mês para o RAS e, com isso, o policiamento ostensivo poderá contar com o reforço de 1,5 mil a 2 mil policiais nas ruas por dia.

“Com o Regime de Recuperação Fiscal, o Estado está retomando o seu
equilíbrio financeiro. Vamos pagar essas gratificações para profissionais
de uma área tão fundamental para o Rio de Janeiro e garantir mais
policiamento nas ruas”, destacou o governador, após se reunir na tarde de
hoje, no Palácio Guanabara, com o secretário de Segurança, Roberto Sá.

Roberto Sá afirma que a PM aumentará a ostensividade. “Colocaremos mais policiais em áreas de mancha criminal elevada e, no caso da Polícia Civil, direcionando ainda
mais recursos para investigações criminais. Vamos agilizar o processo
operacional para que o reforço policial aconteça já nos próximos dias”, concluiu.

Operações integradas

Durante a reunião, Pezão e Roberto Sá aprovaram o plano do Governo Federal
para o Rio de Janeiro. O secretário destacou que as ações que já vêm sendo
executadas pelas forças estaduais e federais desde agosto do ano passado.

Nesta quarta-feira (07), houve mais uma operação integrada, com a
participação das polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, além das
Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança, na Cidade de Deus e em
outras localidades da Região Metropolitana. Ao todo 38 pessoas foram
encaminhadas para a Cidade da Polícia, sendo que 32 maiores e cinco menores
já foram autuados em flagrante ou cumprimento de mandados. Foram
apreendidos três fuzis e quatro pistolas, um carregador de fuzil e dois de pistola, além de três carros e sete motos, drogas e munições.

As Forças Armadas ficaram responsáveis pelo cerco e desobstrução de vias,
além de ações para estabilização na Cidade de Deus. Simultaneamente, as
tropas estabeleceram pontos de bloqueio, controle e fiscalização de vias
urbanas nos acessos à BR-101, na região de São Gonçalo, e realizaram
patrulhamento ao longo do Arco Metropolitano.

Aloma Carvalho