Estado do Rio registra queda de 37% nos roubos de carga

fevereiro 22, 2021 /

 

Forças de segurança estadual retiraram de circulação 20 armas por dia em janeiro

 

Os registros de roubo de carga no estado do Rio de Janeiro tiveram queda de 37% em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês de 2020. Já em relação a dezembro de 2020, a redução foi de 21%. Se levarmos em consideração o último trimestre (novembro e dezembro de 2020 e janeiro de 2021), houve declínio de 32% no paralelo com o mesmo período dos anos anteriores.

 

Os roubos de cargas se mantêm em uma curva descendente desde 2018. É importante salientar que um estudo divulgado pelo ISP, em outubro, mostrou que a queda nos roubos de carga não tem correlação estatística com o isolamento social por conta do coronavírus. Para elaborar o relatório, os analistas do Instituto cruzaram dados dos usuários do Google com os registros de ocorrência da Secretaria de Estado de Polícia Civil.

 

Em janeiro deste ano, as polícias Civil e Militar retiraram de circulação cerca de 20 armas de fogo por dia no estado, contabilizando um total de 619 armas apreendidas. Destas, 53 eram fuzis – esse foi o segundo maior valor para o mês de janeiro desde 2007.

 

Os crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte) registraram aumento de 2% na comparação entre os meses de janeiro. Já o indicador homicídio doloso apresentou crescimento de 1% no mesmo período. As mortes por intervenção de agente do Estado tiveram redução de 4% no primeiro mês de 2021.

 

Principais indicadores:

 

▪ Homicídio doloso: 361 vítimas em janeiro – este foi o segundo valor para o mês desde 2013. Na comparação com janeiro do ano passado, o indicador registrou aumento de 1%.

▪ Crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte): 376 vítimas em janeiro – esse número representa o segundo menor valor para o mês desde 2013. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou aumento de 2%.

▪ Roubo seguido de morte (latrocínio): 13 vítimas em janeiro – este foi o segundo menor valor para o mês desde 2016. Na comparação com janeiro do ano passado, o indicador apresentou cinco mortes a mais.

▪ Morte por intervenção de agente do Estado: 149 mortes em janeiro de 2021 – este é o menor valor para o mês desde 2018. Na comparação com janeiro do ano passado, o indicador apresentou queda de 4%.

▪ Roubo de carga: 363 casos em janeiro de 2021. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o indicador apresentou queda de 37%.

▪ Roubo de veículo: 2.332 ocorrências em janeiro. Na comparação com 2020, o indicador apresentou queda de 28%.

▪ Roubo de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo): 6.436 registros em janeiro. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o indicador apresentou queda de 33%.

 

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro no mês de janeiro. Para mais informações sobre os indicadores, acesse o site do ISP.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.