Escolas Públicas do Rio de Janeiro receberão R$ 9,9 milhões em investimentos

dezembro 20, 2021 /

As escolas da rede pública do estado do Rio de Janeiro receberão R$ 9,9 milhões em investimento da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação.

O resultado do edital “Apoio à Melhoria das Escolas da Rede Pública Sediadas no Estado do Rio de Janeiro — 2021” foi anunciado semana passada, e a lista dos contemplados inclui projetos de escolas municipais, estaduais e federais dos níveis Fundamental e Médio.

No total, foram escolhidos 130 projetos que darão suporte a 130 unidades da rede pública do estado no ano vigente de 2022. O objetivo é apoiar iniciativas voltadas à melhoria da escola pública, por meio de projetos que abordem temas educacionais relevantes e que permitam o aprimoramento da qualidade das escolas da rede pública.

O orçamento inicial era de R$ 8 milhões, mas, com a quantidade recorde de propostas, houve um aumento de recursos aprovados. Dentre eles, pelo menos 30% serão destinados a projetos envolvendo escolas públicas sediadas fora da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Entre as iniciativas contempladas, algumas vão muito além da sala de aula, como um projeto para as escolas de Campos de Goytacazes, no Norte Fluminense, que utilizará a agricultura como ferramenta para o ensino de ciências. Outra proposta aprovada levará a literatura de Rachel de Queiroz e Albert Camus como eixos articuladores para o ensino de ciências.

Os desafios impostos pela pandemia e as relações de aprendizado em escolas públicas serão o foco de um projeto da Unigranrio. A criação de ambientes educativos inovadores também é outro desafio, assim como a inclusão de surdos na volta às escolas.

Superar impactos da pandemia

Uma das principais finalidades desse edital é superar e mitigar os impactos da pandemia na educação, visando diminuir as disparidades e diferenças educacionais geradas pelo fechamento das escolas. O edital busca ainda favorecer projetos de formação continuada dos professores, de elaboração de propostas curriculares inovadoras, bem como contribuir para a melhoria da infraestrutura necessária à educação da rede pública fluminense.

Aloma Carvalho