Em reunião com Temer, Conselhos da República aprovam intervenção federal na segurança do Rio

fevereiro 20, 2018 /

 

Em reunião nesta segunda-feira (19) no Palácio da Alvorada, os membros dos conselhos da República e de Defesa Nacional, formado por ministros, autoridades públicas, parlamentares e representantes da sociedade civil, foram favoráveis ao decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro assinado pelo presidente da República, Michel Temer.

Validade

“Legamente a intervenção está em vigor, porque assim determina a Constituição”, explicou o ministro da Defesa, Raul Jungmann. A medida passou a valer na última sexta-feira (16) e colocou o sistema de segurança do Rio sob o comando do general Walter Braga Netto. Nesta segunda (19), a Câmara dos Deputados começa a análise do decreto, que depois passará pelo crivo do Senado.

Estratégias

“Ele [interventor] precisa de um tempo para diagnosticar a situação”. O ministro destacou que o Braga Netto vai propor mudanças e melhorias no planejamento de segurança que já é colocado em prática no estado, dentro da Garantia da Lei e e da Ordem (GLO).

Integração de forças

Jungmann reforçou que a intervenção é uma medida administrativa. Com isso, cabe a ele comandar a ação militar e o intervenção está subordinado ao presidente Temer. “Não haverá nenhuma carta branca. (…) Os militares não estarão exercendo papel das polícias”, afirmou.

Fonte: Planalto.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.