Édson Torres: “caixinha” da corrupção no governo Witzel arrecadou próximo de R$ 55 milhões

janeiro 13, 2021 /

 

Se o ex-juiz Wilson Witzel tinha a esperança de voltar ao governo com chicanas jurídicas para se beneficiar do decurso de prazo, hoje sua pretensão acabou. O depoimento do empresário Édson Torres, no Tribunal Misto, foi devastador para sua reputação. Diante das revelações,  a volta do acusado ao comando do governo seria mais uma agressão ao povo.

Como antecipou o colunista Lauro Jardim, de O GLOBO, Torres confirmou que entregou pessoalmente a Witzel recursos da ordem de R$ 980 mil antes mesmo de ele assumir o cargo. Valores que seriam usados para as despesas pessoais de Witzel após largar a magistratura.

Disse ainda que a “caixinha” da corrupção chegou a algo próximo de R$ 55 milhões. Sobre a divisão dos valores, disse:

– 15% pra mim , 30% Edmar , 15% para o Vitor Hugo e 40% para Everaldo, que repassava parte a autoridades do governo.

Edson Torres confirma ainda a indicação de Hélio Cabral para presidir a Cedae e Gabriel Neves para a subsecretaria de saúde.

Leia a nota de Lauro Jardim:

O depoimento que o empresário Edson Torres está prestando neste momento no Tribunal Misto, que julga o impeachment de Wilson Witzel é devastador para o governador afastado.

Torres, que é dono de uma empresa de segurança, acaba de confirmar que entregou pessoalmente ao então juiz Witzel recursos para o seu uso pessoal, que somaram R$ 980 mil. Foi quando respondeu à uma pergunta do relator, o deputado Waldeck Carneiro. Esse valor seria para as despesas de Witzel depois de largar a magistratura.

A respeito de corrupção, Edosn Torres foi explícito:

— A caixinha de propina arrecadou de R$ 50 a 55 milhões.

E afirmou que o pastor Everaldo, presidente do PSC, ficava com 40% do valor arrecadado para distribuir a integrantes do governo.

Afirmou também indicou Hélio Cabral para presidir a Cedae e chancelou a nomeação do ex-subsecretário de Saúde Gabriell Neves.

     

    Paulo Cézar

    PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.