Dom Eusébio Scheid, 88 anos, arcebispo emérito do Rio, morre em São José dos Campos

janeiro 13, 2021 /

Dom Eusébio ( na foto da Arquidiocese do Rio) estava com 88 anos

 

O cardeal Eusébio Oscar Scheid, arcebispo emérito do Rio de Janeiro, de 88 anos, morreu na tarde desta quarta-feira. O religioso já se encontrava com um quadro delicado de saúde, situação que se agravou depois que, há cerca de uma semana, ele testou positivo para a Covid-19.

“O arcebispo emérito do Rio de Janeiro, cardeal Eusébio Oscar Scheid, entregou serenamente sua alma a Deus, no inicio da tarde desta quarta-feira, 13 de janeiro, após longo período de enfermidade, em São José dos Campos (SP), onde residia”, informou a Arquidiocese do Rio.

Nascido em Luzema, Santa Catarina, Dom Eusébio Scheid foi transferido para a Arquidiocese do Rio de Janeiro em julho de 2001, sucedendo o Cardeal Eugenio de Araujo Sales. Ele tornou-se cardeal dois anos depois, durante o papado de João Paulo II. Aos 75 anos, Sheid se aposentou e foi substituído como arcebispo por Dom Orani Tempesta.

Dom Eusébio também publicou os livros “Tese de láurea sobre a Cristologia de Ubertino da Casale em seu contexto histórico”; “Preparação para o casamento e para a vida familiar”; Introdução à pastoral familiar; e “Ministério do Acolhimento”.

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO EM.MO. SR. CARDEAL EUSÉBIO OSCAR SCHEID, SCJ

O Regional Leste 1 – CNBB, por meio da sua presidência, manifesta o seu pesar e proximidade à Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), na pessoa do seu arcebispo, o Cardeal Orani João Tempesta, O. Cist., pelo falecimento do seu arcebispo emérito, o Cardeal Eusébio Oscar Scheid, SCJ, ocorrido na tarde desta terça-feira, 13 de janeiro de 2021, na cidade de São José dos Campos (SP).

Membro da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos), Dom Eusébio era natural de Luzerna em Santa Catarina e havia completado 88 anos de idade, dos quais 60 anos foram dedicados ao sacerdócio. O religioso foi nomeado em 1981 como primeiro bispo de São José dos Campos (SP), ficando lá até o ano de 1991, quando foi transferido para a Arquidiocese de Florianópolis (SC), e 10 anos mais tarde sucedeu o Cardeal Eugênio de Araújo Sales na arquidiocese carioca. No consistório de 21 de outubro de 2003, presidido pelo Papa São João Paulo II, foi criado Cardeal Presbítero, do título da Basílica dos santos Bonifácio e Alessio, participando em 2005 do conclave que elegeu o Papa Emérito Bento XVI à Cátedra de Pedro. Dom Eusébio prestou muito serviços à Igreja Católica no Brasil e na Santa Sé, entre os quais destacamos o período em que foi Presidente do Regional Leste 1 – CNBB (2003-2007).

Neste momento em que vivemos uma página triste da história da humanidade com a pandemia do novo coronavírus, conforta-nos as palavras do Santo Padre, o Papa Francisco “A fé nasce da manhã da Páscoa, com o sepulcro vazio: A morte não teve a última palavra”. Firmes na esperança da Ressurreição, rogamos ao Pai que acolha no seu Reino esse seu servo que testemunhou com a vida a grande verdade: Deus é bom!

 

DOM JOSÉ FRANCISCO REZENDE DIAS

Arcebispo Metropolitano de Niterói (RJ)
Presidente do Regional Leste 1 – CNBB

DOM GILSON ANDRADE DA SILVA

Bispo de Nova Iguaçu (RJ)
Vice-presidente do Regional Leste 1 – CNBB

DOM TARCISIO NASCENTES DOS SANTOS

Bispo de Duque de Caxias (RJ)

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.