Diretor Geral do Hospital da Posse, Joé Sestelo é derrubado pela “República de Rio Bonito”

março 7, 2018 /

 

Um dos médicos mais conceituados de Nova Iguaçu e gestor de inúmeras crises pelas quais o HGNI vem passando, Joé Sestello acabou de informar ao novaiguassuonline que está se dirigindo neste momento ao encontro do prefeito Rogério Lisboa para pedir sua exoneração do cargo de Diretor Geral do Hospital da Posse,  principal referência de saúde pública e de emergência da população da Baixada Fluminense. A decisão de Joé, tomada hoje (07), preocupa médicos, funcionários e pacientes do já superlotado hospital que tem sua administração municipalizada e expõe os males da chegada de grupos políticos de fora depois da posse de Lisboa.

Joé vai alegar que está estressado e que precisa se dedicar mais à família e ao consultório, durante a reunião com o prefeito de Nova Iguaçu. No entanto, a realidade é outra: ele foi esvaziado administrativamente por Lisboa por não aceitar ser comandado pelo trio Isaias Class de Figueiredo, Leandro Weber e Glauco Moraes Azevedo, integrantes da “República de Rio Bonito” instalados pelo prefeito na gestão do Fundo Municipal de Saúde da Prefeitura de Nova Iguaçu. É com o dinheiro deste Fundo (que somou R$ 390 milhões no orçamento de 2017) que são pagos convênios com laboratórios e clínicas privadas.

Joé, perdeu também o apoio do secretário municipal de Saúde, Hildoberto Carneiro, na disputa pela gerência dos recursos do Hospital da Posse, algo que já se aproxima de R$ 200 milhões. O meio político iguaçuano identifica em Hildoberto Carneiro uma espécie de Rainha da Inglaterra iguaçuana, “a que reina mas não governa “, por não ter reagido ao domínio do trio nos recursos que são repassaddos pelos governos estadual e federal. A queda de Joé, que administrou o HGNI desde 2013, abre mais uma crise na saúde pública da Baixada e com certeza é um problemão para Rogério Lisboa administrar e resolver num ano de interesses políticos à flor da pele por causa das eleições que se aproximam.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.