Diego Alves se destaca, Flamengo vence Palmeiras e fica com o bi da Supercopa

abril 11, 2021 /

O goleiro Diego Alves ( foto) usou de toda sua experiência para desestabilizar os jogadores do Palmeiras nos pênaltis. Na outra foto, os jogadores bicampeões pegam uma carona no carro que Arrascaeta ganhou como o melhor jogador da decisão da Supercopa do Brasil.

Clébio Luiz

Foi sofrido! O Flamengo suou para vencer o Palmeiras nos pênaltis por 6×5, neste domingo (11/04), em Brasília, e ficar com o bicampeonato da Supercopa do Brasil. No tempo normal, a partida terminou em 2×2. O jogo foi muito movimentado e as duas equipes desperdiçaram chances de vencer sem a necessidade dos pênaltis. O título rendeu R$ 5 milhões ao Flamengo, que teve o goleiro Diego Alves como grande destaque.
O jogo começou eletrizante. Logo a um minuto, o Palmeiras abriu o placar. O goleiro Diego Alves deu um chutão e Felipe Mello resvalou de cabeça. A bola sobrou para Raphael Veiga, que driblou William Arão e fez um golaço.
O Flamengo sentia dificuldade na saída de bola, pois o Palmeiras pressionava e evitava que a bola chegasse aos principais articuladores do Flamengo.
Aos 17, Rony recebe de Zé Rafael pelo lado esquerdo e bate cruzado. Diego Alves defende. O Flamengo responde com Diego, que chuta e Weverton espalma. O Palmeiras deu a resposta rápida com Zé Rafael, que chutou cruzado para a defesa de Diego Alves.
O Flamengo tenta com Arrascaeta, que chuta por cima. Aos 22, o rubro-negro empata. Filipe Luís faz boa jogada e chuta na trave. Gabigol aproveita o rebote e marca. Aos 28, Breno Lopes dribla Diego Alves e chuta cruzado. Diego salva em cima da linha. Logo em seguida, Raphael Veiga chuta de fora da área e Diego Alves faz boa defesa.
Aos 40, pênalti para o Palmeiras. O VAR anula o lance. Três minutos depois, Raphael Veiga cobra falta no ângulo, mas Diego Alves evita o gol. Aos 44, Bruno Henrique chuta com perigo e Weverton faz boa defesa. Aos 48, Arrascaeta recebe de Bruno Henrique, chuta da entrada da área e desempata. No final do primeiro tempo, Rony domina e chuta, mas Diego Alves evita o empate.

Verdão empata

O segundo tempo começou com o Palmeiras em cima com Wesley chutando forte para fora. A resposta do Flamengo veio com Everton Ribeiro, que chuta, mas Weverton faz boa defesa. Gabigol quase fez o terceiro.
O Palmeiras contra-ataca e Danilo chuta para a defesa de Diego Alves.O Verdão explora o jogo aéreo. Rony cobra escanteio, Gustavo Gómez cabeceia e Diego Alves espalma. Em outra jogada, Gabriel Veron cabeceia com perigo.
O Flamengo se reorganiza e vai ao ataque. Gabigol tabela com Everton Ribeiro e chuta perdendo uma boa chance. Aos 26, em um lance infantil, Rodrigo Caio puxa a camisa de Rony na grande área. O atacante do Palmeiras cai e o juiz marca pênalti. Raphael Veiga bate e empata.
O Flamengo volta ao ataque. Arrascaeta é travado na área. A bola sobra para Vitinho, que chuta no canto. A bola bate na trave e volta para as mãos de Weverton. Aos 48, Gabigol quase marca o gol da vitória. Ele recebe na direita e chuta cruzado. Weverton defende, a bola toca na trave e o goleiro defende. Jogadores do Flamengo pedem gol, mas o árbitro manda o lance seguir e o jogo termina empatado em 2×2. A decisão foi para os pênaltis.

Diego Alves decisivo

Na decisão por pênaltis, marcaram para o Palmeiras: Raphael Veiga, Gustavo Gómez, Gustavo Scarpa, Viña e Gabriel Veron. Luan, Gabriel Menino, Danilo e Mayke erraram.
Pelo Flamengo converteram: Arrascaeta, Vitinho, Gabigol, João Gomes, Michael e Rodrigo Caio. Filipe Luís, Matheuzinho e Pepê desperdiçaram.
Arrascaeta foi eleito o melhor jogador da partida e ganhou um carro da Kia. Na comemoração, os jogadores do Flamengo “invadiram” o veículo.

fotos: Alexandre Vidal e Divulgação

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.