CPI dos Transportes toma depoimento de Julio Lopes em Brasília

maio 22, 2018 /

A CPI dos Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) ouviu nesta segunda-feira (21) em Brasília o depoimento de Julio Lopes, ex-secretário de Transportes entre os anos de 2007 e 2014, durante o governo de Sérgio Cabral. Lopes usou a prerrogativa parlamentar – é deputado federal (PP-RJ) –, para ser ouvido na Capital Federal.

“Ouvimos muitos nomes dos representantes da Casa Civil e do Governo do Estado, mas o da Secretaria de Transportes foi pouco mencionado e, quando isso aconteceu, foi sempre para um auto-elogio”, afirmou o presidente da CPI, Eliomar Coelho (PSol), que presidiu os trabalhos ao lado do vice-presidente da comissão, deputado Gilberto Palmares (PT), e do deputado Nivaldo Mulim (PR), membro titular. Antes de encerrar a audiência, Eliomar lamentou o fato da sessão ter sido realizada em Brasília, o que gerou, segundo ele, custos desnecessários, uma vez que Lopes é deputado eleito e mora no Rio.

Durante seu depoimento, Julio Lopes creditou a maior parte da responsabilidade das decisões da sua pasta à Casa Civil, comandada na época por Régis Fichtner, e também ao então governador Sérgio Cabral. Segundo ele, cabia ao Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro), ao gabinete do governador e à Casa Civil estabelecer os valores das passagens rodoviárias. Quanto às tarifas de metrô, barcas e trem, Lopes informou que eram atribuições da agência reguladora (Agetransp).

O ex-secretário afirmou ainda que, durante sua permanência diante da pasta, não houve questionamentos em relação ao fato do controle da bilhetagem eletrônica ser feito pelos empresários de ônibus. Ele não esclareceu a dispensa de licitação para a contratação de obras e operação do teleférico do Alemão, que está parado, o que prejudica a população mais pobre da região.

Aloma Carvalho