Covid-19: pelo 17º dia consecutivo, Brasil bate triste recorde de média móvel de mortes: 1.885; Marcelo Queiroga é o quarto ministro da Saúde de Bolsonaro

março 16, 2021 /

Marcelo Queiroga ( foto) é o quarto ministro da Saúde do Brasil  em plena pandemia

O Brasil bateu, pelo 17º dia consecutivo, o recorde de média móvel de mortes: 1.855. O cálculo é 46% maior do que o registrado duas semanas atrás. Nas últimas 24h, o país contabilizou 1.275 óbitos, elevando para 279.602 o total de vidas perdidas para o novo coronavírus.

As informações  são do consórcio de veículos de imprensa, constituído por O Globo, Extra, G1, Folha  de São Paulo, UOL, e O Estado de São Paulo. Os números são do boletim das 20hs de hoje (16/03).

 

Marcelo Queiroga aceitou convite de Bolsonaro para substituir Pazuello

O médico cardiologista Marcelo Queiroga foi recebido hoje em Brasília pelo presidente Jair Bolsonaro. À saída do encontro, no Palácio do Planalto, disse que aceitou ser o substituto do general Eduardo Pazuello à frente do ministério da Saúde.

É a quarta troca no Ministério da Saúde desde o início da pandemia. O nome foi anunciado em conversa com apoiadores na porta do Palácio da Alvorada.

— Ele é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, já conhecia há alguns anos, então não é uma pessoa que eu tomei conhecimento de poucos dias, tem tudo, no meu entender, para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento em tudo o que o Pazuello fez até hoje.

Pazuello, desgastado, convocou uma coletiva de imprensa para anunciar, mais uma vez, a chegada de vacinas.

Vinte e seis estados atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 nesta quinta-feira. Em todo o país, 10.081.771 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante, o equivalente a 4,76% da população brasileira. A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 3.672.422 pessoas, ou 1,73% da população nacional.

O Centrão emitiu sinais de insatisfação bom Bolsonaro por ter sido escanteado na substituição de Pazuello.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.