Com o fechamento da Niely, desemprego aumenta ainda mais em Nova Iguaçu

novembro 14, 2018 /

O secretário municipal do Trabalho de Nova Iguaçu, Expedito Ribeiro Lopes, o Dito, reuniu-se hoje com o presidente do Sindicato dos Químicos na cidade, Sandoval Marques, após a realização de uma assembléia extraordinária que reuniu centenas de funcionários dentro da fábrica da Niely. Adquirida três anos atrás pela Loreal, a fábrica de produtos Niely em Nova Iguaçu deixará de produzir nos próximos meses e  centenas de operários(as)  ficarão desempregados. A fábrica da Loreal será totalmente transferida para São Paulo em 2019. No Baixada Fluminense, a taxa de desemprego já ultrapassou os 11% ( no estado, 5,2%) e em Nova Iguaçu mais de 140 mil pessoas trabalham na informalidade, sem carteira assinada e recebendo baixos salários. O presidente do Sindiquímico procurou a Prefeitura em busca de mais informações sobre a saída da Niely e de apoio.

Dito informou ao Novaiguassuonline que sua Secretaria vai requalificar os funcionários que a Niely demitir para mais adiante buscar emprego no mercado de trabalho da cidade e de municípios vizinhos. E o prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, também está preocupado com o fechamento da Niely,  disse o Secretário do Trabalho, mas não respondeu até o fechamento deste post o pedido para se manifestar sobre o desemprego de 680 pessoas que trabalham na Niely na cidade que administra.  A saída da Niely de Nova Iguaçu e a demissão de seus funcionários é o lado mais dramático da crise econômica que o País atravessa, além de reflexos da insegurança do Rio, particularmente em Nova Iguaçu.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.