Pe. Fernando, pastor com cheiro das ovelhas

outubro 25, 2020 /

*Dom Gílson Andrade

* Dom Gílson Andrade

Nesses últimos dias do mês missionário tivemos o pesar de sepultar um grande apóstolo dessas terras da Baixada Fluminense, o Pe. Fernando Vandenabeele. Missionário da Congregação do Imaculado Coração de Maria (CICM), de origem belga, iniciou a missão na Diocese de Nova Iguaçu, em maio de 1965, como pároco em Santa Maria (atualmente Belford Roxo). Homem preparado, fez seus estudos eclesiásticos na renomada Universidade de Lovaina e sociologia em Paris. Mas a bagagem acadêmica foi em muito superada pela sua grande humanidade que, pouco a pouco, se revelava no encontro e no cuidado que tinha com as pessoas.

Pelo seu dinamismo e preparo logo foi colocado à frente de vários outros serviços. Em abril de 1968, a pedido do bispo, assumiu a Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais (CERIS) diocesano. Em 23 de dezembro de 1970, a pedido do bispo de Volta Redonda, D. Waldyr Calheiros, começa na Cidade do Aço amplo trabalho pastoral numa paróquia com 18 comunidades. Eram tempos de efervescência social grande no Brasil. O pároco do lugar tinha sido preso e Pe. Fernando foi para lá, junto com seus confrades CICM, para desempenhar uma missão nada fácil.

O Pe. Bernado, atual Pároco de Santo Elias, testemunha que “o trabalho em equipe deixou marcas profundas, como também o jeito do nosso amado coordenador Pe. Fernando. Foram tempos fortes do Cursilho da Cristandade, de círculos bíblicos, formação de lideranças leigas nas Ceb´s sempre dentro das grandes linhas pastorais diocesanas do saudoso carismático bispo Dom Waldyr”.
Sua capacidade pastoral, intelectual e humana despertou a atenção a nível de organismos missionários de âmbito nacional. Assim, em fevereiro de 1976, ele assumiu o Centro de Formação para Agentes de Pastoral estrangeiros da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, o CENFI e, em 1979, foi encarregado de fazer a transferência do Rio para Brasília.

Em setembro de 1979, foi eleito provincial de sua Congregação no Brasil. Foram os anos em que animou, incentivou e visitou a nova missão que a Congregação iniciara em setembro de 1979, no Sul do Pará. Tendo exercido com muita responsabilidade e fraternidade a coordenação do Conselho Provincial, permaneceu na função até 1985.

A partir deste ano não deixará mais a Diocese de Nova Iguaçu, senão por um período de 3 anos, na Bélgica, como reitor de uma casa de Padres e Irmãos CICM idosos.

Cooperou com todos os bispos da Diocese até mim. Amado pelo povo das paróquias por onde passou, era admirado por sua capacidade de tornar Cristo presente no seu exemplo, carinho, capacidade extraordinária de amizade e um zelo extraordinário pelo cuidado de todos, especialmente dos pobres e esquecidos da sociedade. É recordado com carinho pelo trabalho de animação da Pastoral da Saúde, realizado no hospital da Posse, onde enfermos, funcionários da manutenção, médicos e enfermeiros se tornaram seus amigos.
Animado pela fé, a esperança e o amor ao Senhor que sempre o inspirava e animava na sua missão, com alegria e com o sorriso que sempre nos cativou, agora descansa da dura luta que enfrentou aqui e, certamente, nos acompanha do céu para que não desanimemos de seguir lutando pelo Reino de Deus que ele serviu com tanto empenho.

A Diocese de Nova Iguaçu tem no seu testemunho um dos seus pilares. Como bispo diocesano, sou profundamente grato pela semente bem plantada por ele nos nossos campos, já vemos tantos frutos. Sua colaboração como ecônomo no curto período que aqui estou e, sobretudo, seus conselhos maduros e amizade me dão confiança para seguir na missão, tendo também a ele como inspiração. Obrigado, Pe. Fernando! Sentiremos tanta saudade! O seu exemplo nos inspire!
Fonte: Pe. Bernard M. Raymon Masson, Discurso na Missa das Exéquias de Pe. Fernando.

O Início da Missão CICM em Nova Iguaçu começou no dia de Natal em 1963, quando Dom Honorato era Bispo Diocesano . As primeiras paróquias confiadas foram em Santa Maria nos bairros de Califórnia e Vila Nova. Foi em 27 de outubro de 1964 que Pe Fernando chegou ao Brasil depois de se formar em Louvania, Bélgica como padre e depois em sociologia em Paris. Depois do seu curso de Português em Petropolis em Maio 1965 o jovem Pe Fernando inicou sua missão em Califórnia. Em agosto 1966 Pe Fernando foi nomeado para ser pároco em Santa Maria (atualmente Belford Roxo).

Em abril 1968, visto a sua formação, ele é chamado pelo bispo para assumir a diretoria do CERIS diocesano (centro de estatística religiosa e investigações sociais ).

Depois de meses de pesquisas e buscas a Congregação dos Missionários CICM em pleno crescimento e se expandindo na sua ação missionária, foi solicitada através de Dom Waldyr de iniciar uma nova missão em Volta Redonda. Em 23 de dezembro de 1970, ainda em pleno tempo da Ditadura Militar Pe Fernando com um colega inicia sua missão em Volta Redonda. Primeiro por um tempo na Paróquia de Santa Cecília para substituir o pároco que foi preso. Meses depois a nova equipe foi empossada na Paróquia Nossa Senhora de Conceição, no conforto bem na frente da famosa Siderúrgica CSN.

Foi ali que cheguei a conhecer melhor Pe Fernando e a equipe CICM ao ser nomeado como recém chegado em Junho de 1973. A Paróquia tinha a responsabilidade pastoral de 18 comunidades. O trabalho em equipe deixou marcas profundas, como também o jeito do nosso amado coordenador Pe Fernando. Foram tempos fortes do Cursilho da Cristandade, de círculos bíblicos, formação de lideranças leigos nas Ceb´s sempre dentro das grandes linhas pastorais diocesanas do saudoso carismático bispo Dom Waldyr que me ordenou em 1978.

Em Fevereiro de 1976 Pe Fernando assumiu o Centro de Formação para Agentes de Pastoral estrangeiros da CNBB, o CENFI e em 1979 foi encarregado de fazer a transferência para Brasília. Em Setembro do ano de 1979 Pe Fernando foi eleito provincial CICM neste Brasil. Foram os anos em que animou, incentivou e visitou a nova missão iniciada em Janeiro 1979 no Sul do Pará. Exerceu com muita responsabilidade e fraternidade a coordenação do conselho provincial de modo que foi sendo reeleito para terminar em 1985.

A partir deste ano ele não mais deixara a Diocese de Nova Iguaçu a não ser por um período de 3 anos na Bélgica como reitor de uma casa de Padres e Irmãos CICM idosos.

Enquanto a missão CICM se espalhava no Norte, em Minas e em dioceses do Rio de Janeiro, Padre Fernando mostrou seus tantos dons e capacidades em trabalhos pastorais tão variadas nesta Diocese em tempos com vários bispos diocesanos: Dom Honorato, Dom Walmor, Dom Adriano, Dom Werner, Dom Luciano e finalmente com nosso bispo atual Dom Gilson. Pe Fernando sempre vai ser este padre – missionário CICM e sempre profundamente enraizado na Pastoral Diocesana. Por isso amado pelo povo de tantas paróquias da Diocese onde passou como Pastor onde administrava, coordenava, incentivava e produzia tantos frutos. Como o povo de Deus apreciava suas homilias sempre enriquecidas com belas histórias que o povo guardava e contava em casa.
Padre Fernando conselheiro, diretor espiritual de tantos seminaristas, de candidatos a vida missionária CICM. O sacerdote capelão animador de Pastoral da saúde lá no hospital da Posse, onde enfermos, o pessoal do campo da manutenção, médicos e enfermeiros tornaram seus amigos. Quantos deles gostariam nesta hora dar seu testemunho…

Padre Fernando sempre atualizado nos requintes tecnológicos mas também na arte de viver a vida humana com amizade fiel e sempre apreciada como contador de historinhas indeterminadas que cativava homens e mulheres, jovens e crianças sem esquecer a terceira idade com quem se simpatizava cada vez mais.

E esta idade avançada, já provada 6 anos atrás por um grave acidente do ônibus rumo a Minas Gerais, mas da qual passou vitorioso, que agora tomou os rumos da fé, da esperança e do amor do Senhor que sempre o inspirava e animava na sua missão, com alegria e com este riso fácil no rosto. Agora receberá o prêmio do Senhor, a Vida sem dor, nem pranto, Vida sem fim depois deste bom combate principalmente nesta baixada fluminense.

Neste momento de despedida, queremos agradecer ao Senhor, esta vida tão dedicada ao Reino, a vida eclesial , a vida religiosa missionária, em breve a vida em todas as suas dimensões. Muito obrigado Senhor, muito obrigado Pe Fernando por sua vida, por sua presença, por seu testemunho. Teremos saudades. Pe Bernardo.