Cidades da Baixada Fluminense reforçam a vacinação contra o sarampo e a poliomielite neste sábado (18)

agosto 16, 2018 /

Neste sábado (18), será realizado o Dia D de vacinação contra o sarampo e a poliomielite em todo o Estado do RJ. A data é importante para aumentar a cobertura contra essas doenças, evitar o aumento de casos de sarampo e a reintrodução da poliomielite. A campanha nacional vai até o dia 31 de agosto e todas as crianças de um ano a menores de cinco devem se vacinar, independente da situação vacinal. A expectativa é imunizar cerca de 812 mil crianças.

Os municípios da Baixada Fluminense, como Belford Roxo e São João de Meriti, também fazem parte da campanha. Em Belfor Roxo, a abertura vai acontecer na Policlínica Heliópolis, localizada na Avenida Monsenhor Solano Dantas de Menezes 510, Bairro Heliópolis, às 8h. Dentre as unidades de saúdes que estarão ofertando as vacinas, estão: Policlínicas Neuza G. Brizola, Heliópolis, Nova Aurora, Parque Amorim, Parque São José; ESFs Onofre Aniceto, Bom Pastor I e II, Bom Pastor III e IV, Xavante I, II, III e IV, São Luiz, Ererê, Parque dos Ferreiras, Esperança; Policlínica Pastor Antonino de Oliveira, UBSs Antônio Francisco Ribeiro, Manoel Batista Almeida Filho, Jacira Pinto Leal, Bela Vista, Sargento Roncalli, Orlando Pinto Salles, Santa Marta.

Já em São João de Meriti, todos os postos de saúde estarão abertos das 8h às 17h. As Secretarias de Saúde e Educação do município estarão trabalhando em parceria, através do Programa de Saúde nas Escolas, para identificar nas creches e escolas da rede municipal crianças na faixa etária da campanha para serem vacinadas, com a devida autorização dos pais ou responsáveis.

Um milhão de doses disponibilizadas

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, foram distribuídas às prefeituras um milhão de doses de vacinas contra o sarampo e mais um milhão contra a poliomielite.

Em 2017, no Estado do Rio, a cobertura vacinal contra o sarampo foi 95% em crianças com menos de um ano e contra a poliomielite essa taxa ficou em 82%. Por isso, a importância do Dia D e demais fases da campanha para alcançar a meta de imunizar 95% do público-alvo.

Seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, para a proteção contra a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida receberão a vacina VIP (Vacina Inativada Poliomielite). Já os menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a VOP (Vacina Oral Poliomielite), a famosa gotinha. Sobre o sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, independente da situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Quem deve ser vacinado?

. Contra a poliomelite: crianças de 1 a menores de 5 anos, independentemente de quantas doses já tomou.

. Contra o sarampo: crianças de 1 a menores de 5 anos, independentemente de quantas doses já tomou.

. Não devem ser vacinadas: crianças de 1 a menores de 5 anos que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Poliomielite

A vacina contra a poliomielite é segura e protege contra os dois sorotipos do poliovírus 1 e 3. A vacina não tem contraindicações e é recomendada, até mesmo, para as crianças que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil está livre da poliomielite desde 1990, portanto é fundamental que a população procure a vacina.

Sarampo

Este ano, 16 casos de sarampo foram confirmados no estado do Rio de Janeiro, sendo 13 na cidade do Rio, dois em Duque de Caxias e um em Niterói. A Secretaria Estadual de Saúde vem trabalhando em parceria com os municípios, inclusive realizando vacinação de bloqueio.

A proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças entre 12 e 15 meses. Devem ser vacinadas as crianças a partir de um ano e 4 anos 11 meses e 29 dias e adultos de até 49 anos que não tenham sido imunizados. Aqueles que tomaram as duas doses da vacina não precisam tomar nova dose.

Aloma Carvalho