Bolsonaro no Twitter: “Vacina que receber o aval da Anvisa será ofertada a todos brasileiros de graça”

dezembro 7, 2020 /

 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que qualquer vacina que receber o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será ofertada a todos os brasileiros de graça, e disse que não faltarão recursos para a imunização da população.

“Em havendo certificação da ANVISA (orientações científicas e os preceitos legais) o governo brasileiro ofertará a vacina a toda a população de forma gratuita e não obrigatória. Segundo o Ministério da Economia não faltarão recursos para que todos sejam atendidos. Saúde e Economia de mãos dadas pela vida”, disse ele, no Twitter.

O governo federal tem sido pressionado pelo governo de São Paulo, administrado pelo desafeto João Doria (PSDB), a comprar a CoronaVac, vacina da chinesa Sinovac que está sendo elaborada no país pelo Instituto Butantan. Bolsonaro chegou publicamente a duvidar da eficácia da CoronaVac, e vetou um acordo do Ministério da Saúde com o Butantan. O governo federal tem trabalhado com a vacina da AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

O anúncio do presidente ocorre no mesmo dia em que o governo de São Paulo informou que começará a imunizar a população do estado contra a Covid-19 em 25 de janeiro, dia do aniversário da capital. Os primeiros a receber doses da CoronaVac (vacina do laboratório chinês Sinovac que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, ligado ao governo paulista) serão profissionais de saúde e pessoas com mais de 60 anos (77% das mortes por Covid-19 no estado foram nessa faixa etária), além de indígenas e quilombolas.

O governo federal, por sua vez, só fechou acordo, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para adquirir a vacina produzida pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela universidade de Oxford. A vacina da Pfizer, que começa a ser aplicada nesta terça-feira no Reino Unido, foi a princípio descartada pelo governo federal por precisar ser armazenada a -75°C.

Esperado desde a semana passada, o Plano Nacional de Imunização (PNI) ainda não foi divulgado. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, vai se reunir com governadores nesta terça pela manhã para discutir sobre a incorporação de novas alternativas de vacina contra Covid-19 e alinhar as estratégias de vacinação nos estados.

 

 

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.