Bolsonaro fala pouco no discurso de posse e define prioridades de seu governo

janeiro 1, 2019 /

Eleito com mais de 56 milhões de votos, o deputado federal Jair Messias Bolsonaro já é o novo Presidente da República Federativa do Brasil. Ele foi empossado durante solenidade no Congresso Nacional após desfilar de carro aberto, acompanhado de Michele Bolsonaro, pelo centro de Brasília, saudado por centenas de milhares de pessoas. Em seu discurso como Presidente, Bolsonaro, num discurso de pouco mais de cinco minutos, enumerou alguns pontos da prioridade de seu governo, tais como o combate à corrupção, o fim da irresponsabilidade fiscal e da submissão ideológica e da ideologia de gênero nas escolas e a construção de uma sociedade sem discriminações.

O Presidente Bolsonaro disse que tem como metas unir o povo e respeitar a família. Mais de uma vez, repetiu um dos bordões de sua pregação de candidato: O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos. Mais de 20 Chefes de estado prestigiaram a posse de Bolsonaro, que do alto da Mesa do Congresso Nacional sorria e fazia gestos carinhosos para deputados do chamado baixo clero, o qual integrou por mais de 20 anos de mandato na Câmara dos Deputados. Bolsonaro e Hamilton Mourão, o vice-Presidente da República, juraram respeitar a Constituição.

O novo Presidente da República pediu ajuda do Congresso Nacional para levar adiante as propostas de seu governo para a área econômica, mas depois teve que ouvir por 15 minutos o Senador Eunício de Oliveira, que não se reelegeu, desfilar por um longo tempo algumas das matérias que o Congresso aprovou sob o seu comando no governo de Michel Temer. Depois de uma rápida visita ao gabinete do Presidente do Senado, Jair Bolsonaro subiu a rampa do Palácio do Planalto para receber a faixa presidencial e o cargo que até então pertenceu a Michel Temer.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.