Átila Nunes denuncia integrantes do BBB ao MP por zombarem da religião africana

fevereiro 11, 2021 /

O deputado Átila Nunes denunciou, ao Ministério Público, quatro participantes do Big Brother Brasil: Nego Di, Projota, Karol Conká e Lumena. Segundo ele, os brothers cometerão crime de Vilipêndio Religioso, previsto no Artigo 208 do Código Penal (“Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; vilipendiar publicamente objeto de culto religioso”). A denúncia foi protocolada nesta quarta-feira (10) e enviada à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI).

Para Átila, Nego Di, Projota, Karol Conká e Lumena ironizam e desprezam o orixá Xangô, cultuado na Umbanda e no Candomblé. Na representação, o deputado relata que “ Nego Di fez um trocadilho desrespeitoso com o orixá, arrancado gargalhadas dos colegas ao afirmar por duas vezes: ” – Eu xangôzei”; “ – Cheguei a xangôzar no quarto, véi”. Inacreditavelmente, Lumena, que se diz adepta do Candomblé, junto com seus amigos, ironizou a Umbanda, religião do ex- integrante Lucas Penteado, que foi amplamente perseguido e discriminado pelo grupo dentro da “casa mais vigiada do mundo”, tudo ao vivo e a cores.”

E Karol Conká seguiu: ” – Você falando é muito engraçado. Eu chamei Xangô, véi'”, disse a rapper, imitando os trejeitos de Lumena. Apesar de estarem ridicularizando uma religião de matriz africana, Lumena caiu na gargalhada e ainda lembrou uma conversa que teve com o ex-integrante Lucas: ” – Eu xangozei. Eu estou pelo certo com meu orixá, você está pelo errado. Ele está te abandonando”, disse a baiana.

Sobre a denúncia, Átila Nunes ainda fez um pedido para que os “integrantes do BBB 2021 tenham suas ações tipificadas como Crime de Discriminação Religiosa, previsto no artigo 20, com a agravante de ter sido cometido por intermédio dos meios de comunicação”.

Aloma Carvalho