Alckmin quer atacar violência em 150 cidades brasileiras

setembro 13, 2018 /

Fortalecido pela redução dos índices em São Paulo, o ex_governador Geraldo Alckmin, candidato do PSDB e dos partidos do chamado ” Centrão” à Presidência da República,  fez uma longa exposição de suas propostas para reduzir de imediato a violência durante uma sabatina a que foi submetido por jornalistas do Globo com transmissão ao vivo pelos canais de internet do Grupo Globo.

Alckmin informou que em São Paulo 10 mil pessoas deixaram de ser assassinadas durante seu mandato. Ele explicou que seu plano de combate a violência consiste em vigiar as fronteiras do território brasileiro com tecnologia, transformar a Força Nacional num órgão de atuação permanente e criar brigadas com 5 mil homens para atacar a criminalide nas 150 cidades com alto índice de homicídios, entre elas o Rio de Janeiro. O candidato Alckmin propôs ainda ações de inteligência e de gestão eficiente na área de segurança pública. Ele disse que em São Paulo as principais lideranças do crime organizado ” estão na tranca”   e submetidas a regime disciplinar rigoroso. O candidato tucano falou de sua experiência para comandar o País num momento difícil, negou o envolvimento de seu nome da Lava Jato e disse que governará com os melhores quadros dos partidis que o apoiam. Afirnou que vai enfrentar as diversas entidades para por o Brasil na linha do crescimento e disse que ” O Brasil é hoje um grande cartório”. Ele apresentou propostas para a área de saúde pública informando que do déficit de 34 mil leitos, cerca de 10 mil estão localizados no Rio. Alckmin disse o povo brasileiro precisa de médicos bem preparados e condenou o excesso de faculdades de medicina que formam jovens sem residência médica.

 

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.