A Baixada Fluminense perde Nelson Bornier (71 anos) e Nova Iguaçu “o prefeito da Via Light”

abril 11, 2021 /

Nelson Bornier, 71 anos, ex-prefeito de Nova Iguaçu e ex-deputado federal, faleceu por complicações decorrentes da covid-19 pouco depois das 9 horas deste domingo (11/04)  no hospital Badim, no Maracanã, onde estava internado há mais de um mês.

Felipe Bornier, seu filho, no Facebook, se despediu do pai, filho de um seresteiro, profissional de contabilidade desde os 14 anos, devoto de Santo Antônio e flamenguista de arquibancada. “Pai, você será para sempre o meu herói e minha maior referência. Você vai fazer muita falta, principalmente pelo exemplo de homem que foi. Pai, a sua memória e a sua história serão sempre repetidos com amor, carinho e respeito. Você continuará eternamente presente em nossas vidas e em nossos corações. Vá em paz e daí de cima olhe por nós. Te amo.”

Bornier inicou sua vida pública no final dos anos 80, quando, ao lado de Álvaro Vale, ajudou a criar o Partido Liberal, legenda pela qual conquistou o mandato de deputado federal. Depois reelegeu-se pelo PSDB  e tornou-se o primeiro secretário estadual da Baixada Fluminense com o ex-governador Marcello Alencar.  Em 1996 ganhou a eleição e foi comandar a Prefeitura de Nova Iguaçu, reelegendo-se em 2000. Dois anos depois concorreu novamente a deputado federal e foi eleito com mais de 100 mil votos. Em 2008, tentou retomar a Prefeitura mas foi derrotado pelo então prefeito Lindbergh Farias (PT). Quatro anos depois, em 2012, derrotou Sheila Gama (PDT ) nas urnas e voltou a ser prefeito. Nas eleições de 2016, perdeu o poder em Nova Iguaçu para Rogério Lisboa, atual prefeito.

Foram muitas as obras realizadas nas gestões de Bornier como prefeito de Nova Iguaçu, principalmente na periferia. Ele recuperou as finanças do município  de 1997 a 2000 e pagou quatro meses de salários atrasados ao funcionalismo municipal. Construiu escolas, postos de saúde, urbanizou bairros inteiros e ampliou o HGNI ( Posse). No seu segundo mandato como prefeito, tirou dos papel o projeto de construção da Via Light, obra financiada pelo governo estadual.

No último mandato, de 2012 a 2016, Bornier , com a queda da arrecadação, a crise fiscal e a diminuição de repasses federal e estadual ,não conseguiu executar obras importantes , o pagamento dos servidores atrasou três meses e ele deixou a prefeitura derrotado.

Nelson Bornier, que chegava cedo à Prefeitura e era sempre o último a sair, raramente teve tempo para o lazer. Sua dedicação à cidade que o viu crescer no K 11 não lhe permitia ir além de compromissos políticos e administrativos. Ele deixa viúva, um casal de filhos ( Felipe e Flávia),  dois netos, duas irmães ( Rosa e Maria Luiza) e muitos amigos.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.