Brincando com Arte concluiu atividades em escola de Belford Roxo

dezembro 6, 2017 /

Maria Vitória e Anderson – dois alunos que participaram do projeto


O projeto “Brincando com Arte” encerrou suas atividades com os alunos e funcionários da Escola Municipal José Pinto Teixeira, no bairro Recantus, em Belford Roxo, iniciado no mês de novembro.

O Projeto é uma parceria entre o Ministério da Cultura e a empresa Lubrizol, que selecionou 50 estudantes da unidade para participarem da iniciativa, que ensinou os participantes a confeccionar bonecos de materiais recicláveis (garrafa pet, esponja e papelão, entre outros) e também trabalhou a consciência ambiental e a importância de reaproveitar.

Nas reuniões com os alunos, a produtora executiva e professora Juliana Werneck, abordou a questão da separação do lixo, pois os materiais recicláveis seriam aproveitados na confecção dos bonecos. “Fizemos com que eles refletissem sobre qual o modo correto de descartar o lixo. Durante as aulas os alunos faziam o desenho e depois confeccionavam o boneco com pet, espumas, papelão e outros materiais recicláveis. O projeto estimulou o lado colaborativo, pois muitos deles interagiam e ajudavam os colegas na tarefa”, frisou Juliana Werneck, acrescentando que a ideia é levar o projeto para outras escolas da rede.

Brinquedos de papelão

Gustavo, com sua mãe e avó, mostra os bonecos criados

Um dos produtos dos alunos foi a criação de bonecos de papelão e outros materiais, que foram recolhidos pelos próprios alunos para a confecção de cada novo brinquedo. Aos 10 anos, Gustavo José Ernandes fala como “gente grande”. Desinibido, o menino, que cursa o 3º ano, revelou que sempre fez carrinhos com caixas de papelão ou de leite longa vida. “Não senti dificuldades no projeto. Recebi muitas informações de como aproveitar os materiais recicláveis”, explicou.

A coordenadora da José Pinto Teixeira, Cristiane Ximenez, avaliou como positivo o projeto, que segundo ela, despertou a criatividade dos alunos para o trabalho com produtos recicláveis. “Foi uma novidade e eles adoraram. Durante os trabalhos despertaram a consciência ambiental e aprenderam que produtos recicláveis também podem ser utilizados na arte”, argumentou.

Margareth Oliveira