Câncer mata a cantora e compositora Miúcha, aos 81 anos.

dezembro 27, 2018 /

Irmã de Chico Buarque e um dos grandes nomes da Bossa Nova, ela estava internada no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro


A cantora e compositora brasileira Heloísa Maria Buarque de Hollanda, a Miúcha, morreu hoje no Rio de Janeiro. Aos 81 anos, sofreu uma parada respiratória, em decorrência de um tratamento de câncer, depois de ter sido internada às pressas. Irmã do cantor Chico Buarque, Miúcha lançou 14 álbuns durante a carreira.

Heloísa foi casada com o músico João Gilberto, com quem teve a filha e também cantora Bebel Gilberto. Nascida no Rio, começou a cantar e tocar violão ainda jovem com seus seis irmãos. Estudou História da Arte em Paris, na École du Louvre. A primeira gravação profissional ocorreu em 1975, no disco entitulado The best of two worlds, uma parceria entre Stan Getz e João Gilberto. 

Em 1989, teve dois de seus discos incluídos entre os sete melhores de música brasileira segundo o jornal francês Le Monde. Miúcha trabalhou, ao longo da carreira, com artistas como Tom Jobim, Vinicuis de Moraes e Toquinho.

Parceria com Tom Jobim

Miúcha teve uma bela e grande parceria com Tom Jobim. Em 1975, ano em que começou a carreira, ela cantou na faixa Boto, do disco Urubu, gravado pelo Maestro Soberano.

Dois anos depois, veio o LP Miúcha e Antonio Carlos Jobim, que incluía Pela luz dos olhos teus Vai levando, além de Maninha, faixa composta por Chico Buarque para Miúcha. Ao lado de Tom, Toquinho e Vinícius de Moraes, Miúcha cumpriu vitoriosa turnê, ficando quase um ano em cartaz no Canecão. O resultado ficou registrado num disco ao vivo, um dos mais importantes da carreira dela.


Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.