Waguinho diz que “o bom direito” vai devolvê-lo ao comando da Prefeitura de Belford Roxo e que é candidato à reeleição

maio 28, 2019 /

     Afastado da Prefeitura de Belford Roxo desde último dia 30 por causa de uma denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de janeiro que o acusa de chefiar uma organização criminosa que teria desviado R$ 17 milhões dos cofres da cidade que já lhe deu três mandatos ( vereador, deputado estadual e prefeito), Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, informou ao Nova Iguassu Online, ontem (27/05), na movimentada Rua São José, Centro do Rio, que sua defesa tem “o bom direito” para provar sua inocência e com isso fazê-lo retornar ao comando da cidade “nos próximos dias”. A defesa de  Waguinho está sendo feita por um advogado com excelente trânsito nos tribunais do Rio. A decisão depende apenas do retorno do desembargador  Antônio Carlos Nascimento Amado, do Segundo Grupo de Câmaras Criminais do TJ do Rio, cujas férias terminam na próxima quinta-feira (30). O resultado do julgamento deste caso que envolve ainda outras 25 pessoas, das quais nove tiveram de deixar suas funcções no município, poderá ser monocrática. Waguinho disse que será candidato à reeleição. O orçamento de Belford Roxo para este ano é de R$ 485 milhões.

Se Waguinho perder o recurso, os eleitores de Belford Roxo voltarão às urnas para eleger um novo prefeito

 Se a Justiça mantiver Waguinho afastado, os eleitores de Belford Roxo voltarão às urnas para elegerem um novo prefeito e um vice, conforme determinação do Supremo Tribunal Federal, que manteve a regra da minireforma eleitoral para o caso de vacância dos cargos de prefeitos e governadores. A norma prevê que serão realizadas eleições indiretas se a cadeira ficar vazia a menos de seis smeses do fim do mandato. Antes disso, são realizadas eleições diretas. Os cargos eletivos podem ficar vagos em caso da perda de mandato, cassação do diploma e indeferimento do registro de candidatura.

Marcinho Bombeiro ( à esquerda),  prefeito em exercício de Belford Roxo, foi denunciado recentemente por crime ambiental  pelo Inea

 

 

-Estou me defendendo com o bom direito. Não ficou comprovada qualquer improbidade administrativa neste processo ou em qualquer outro e nada que pudesse me comprometer foi encontrado em minha residência, em Heliópolis, na busca e apreensão determinada pela Justiça. Tudo isto é pressão política porque fiz em dois anos de mandato o que muitos não fizeram em 30 anos de existência de Belford Roxo. Meu único crime é o de asfaltar ruas para tirar o povo da lama e da poeira – disse o prefeito afastado.

A Justiça do RJ determinou o afastamento do cargo do prefeito Waguinho na Operação Metano, que buscava afastar outras nove pessoas de suas funções, entre servidores e secretários. O político está proibido de entrar na sede do governo.

 

Outro dos 25 investigados é o deputado estadual Marcio Canella (MDB), ex-vice-prefeito de Belford Roxo. Ele está cumprindo seu mandato na Alerj, mas está proibido pela Justiça de frequentar qualquer instalação da Prefeitura de Belford Roxo ou manter contato com os denunciados.

O MP afirma que o grupo de Waguinho cometeu os crimes de organização criminosa, concussão, fraude a licitações, dispensa ilegal de licitações e peculato.

Busca de documentos

A força-tarefa do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (Gaocrim/MP) da Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro da Polícia Civil, com apoio do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), também cumpriu mandados de busca e apreensão em repartições do município e em endereços de suspeitos. O objetivo era reter documentos e telefones celulares.

Além do prefeito Waguinho e do deputado Marcio Canella, dentre os 25 denunciados, estão Paulo Sérgio Corrêa Luna, secretário municipal de Conservação; Bruno de Oliveira Paes Leme Pires, ex-secretário municipal de Obras; outros servidores públicos de Belford Roxo e empresários.

O que diz a denúncia

Inicialmente, foram apuradas irregularidades na contratação de empresas para a prestação dos serviços de coleta e transporte de lixo urbano, bem como de sua destinação final em aterro sanitário. A investigação teve desdobramentos que , segundo o MP do Rio, evidenciaram irregularidades em outros campos de atuação administrativa, como o da pavimentação de vias públicas e de locação de imóveis pelo executivo local.

“Foram produzidos sólidos elementos de prova que apontam, por cruzamento de dados, vínculos subjetivos entre todos os agentes denunciados, públicos e privados”, disse o MP na ocasião

Os promotores citaram a “evidência de crimes gravíssimos perpetrados contra a Administração Pública por obra dos ora denunciados, responsáveis por desfalques milionários no erário municipal”.

Afastados de seus cargos ou funções

  1. Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, prefeito;
  2. Paulo Sérgio Corrêa Luna, secretário de Conservação;
  3. Cosmo Thiago da Silva Pereira, empresário;
  4. Edinúbia Macena Vieira, pregoeira;
  5. Eduardo Silva de Souza, servidor;
  6. Jefferson Mariano da Silva, servidor;
  7. João Batista da Costa, servidor;
  8. Severino do Ramo Macedo Medeiros, servidor;
  9. Tassiana Zeferina Servilha, servidora;
  10. Waldir Marinho de Oliveira, servidor.

Alvos de busca e apreensão

  1. André Luiz Santana Leal, secretário de Governo;
  2. Bruno de Oliveira Paes Leme Pires, ex-secretário de Obras;
  3. Márcio Correia de Oliveira, secretário da Casa Civil.

         Desde o começo de 2017, oito prefeitos perderam o cargo, com determinação da Justiça eleitoral para a realização de novas eleições. Em seis (Cabo Frio, Rio das Ostras, Teresópolis, Mangaratiba, Aperibé e Laje do Muriaé) a população já teve que voltar às urnas. Os próximos pleitos ocorrerão em Iguaba Grande, no dia 2 de junho, e em Paraty, sem data definida.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.