Trânsito é o caos no Centro e Prefeitura de Nova Iguaçu não tem saídas para os congestionamentos diários

maio 17, 2019 /

Estrada de Madureira hoje, 12h55m, trecho entre a Juiz Alberto Náder e o Vikings

          O motorista que precisa atravessar de um lado para  outro do Centro de Nova Iguaçu pelo viaduto Padre João Müsch pode levar  uma hora entre 12 e 13 horas , percurso que normalmente é feito em pouco mais de 5 minutos. Neste horário, a entrada e a saída de alunos de escolas públicas e particulares transformam o tráfego na Estrada de Madureira num teste de paciência para os motoristas e usuários de ônibus e transporte alternativo.

Além da falta de espaço urbano neste pedaço da cidade, o motorista que passa pelo trecho  da Estrada de  Madureira( Avenida Abílio Austo Távora) que vai do Shopping Nova Iguaçu à padaria Art-Pão, na esquina da Avenida Mário Guimarães com Dr. Thibau, não tem qualquer alternativa da Prefeitura para driblar o congestionamento. E a tendência é piorar ainda mais a mobilidade, já que a Prefeitura, sem a fiscalização da Câmara de Vereadores, autorizou a construção de novos condomínios residências na área nobre do Centro. No bairro da Luz, ruas secundárias são vítimas do tráfego pesado de ônibus e caminhões em rotas improvisadas para fugir do congestionamento.

Por falta de agentes de trânsito, a Prefeitura de Nova Iguaçu não toma qualquer atitude para por fim ao caos no trânsito entre meio dia e 13 horas. Carros param na contramão, nas calçadas e em filas duplas. Na esquina da Rua Juiz Alberto Náder, mães e pais de alunos reclamam da omissão do governo municipal, lembrando que raramente o sinal luminoso funciona e que não é todo dia que no local tem um agente de trânsito para ajudar crianças e idosos a atravessarem a pista da Estrada de Madureira.

São milhares de crianças que entram e saem de quatro escolas naquele trecho. Hoje, a chuva agravou ainda mais a falta de mobilidade,prejudicando quem tem comṕromissos de trabalho e outros.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.