Sobe para 262 o número de agrotóxicos registrados no Brasil

julho 22, 2019 /

Este é o ritmo de liberação mais alto já registrado

O Ministério da Agricultura aprovou nesta segunda-feira (22) o registro de 51 novos agrotóxicos, totalizando 262. Desse total, 7 são produtos formulados, ou seja, aqueles que os agricultores podem comprar em lojas de insumos agrícolas. Sendo que 6 deles têm como base o princípio ativo sulfoxaflor, responsável por controlar insetos que atacam frutas e grãos, como a mosca branca e o psilídeo.

O governo afirma que, o uso do sulfoxaflor seguirá as orientações estabelecidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). Ou seja, os agricultores terão que seguir algumas restrições de uso do pesticida que constarão no rótulo dos produtos e serão estabelecidas de acordo com cada ingrediente e cultura.

O registro de uso industrial do sulfoxaflor foi concedido no fim de 2018, mas as autoridades ambientais ainda realizavam a em avaliação final do produto. Depois de passar por consulta pública, o produto foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Ibama.

Entre os produtos formulados registrados nesta segunda-feira está um herbicida à base do ingrediente ativo florpirauxifen-benzil. O agrotóxico poderá ser utilizado para o controle de plantas daninhas na cultura do arroz.

Outros 44 são produtos “equivalentes”, que são genéricos de princípios ativos já autorizados no país. Desse número, 18 são para a produtos técnicos de uso industrial e outros 33 produtos são formulados, sendo quatro de origem microbiológica.

Registro mais rápido

A maior velocidade na liberação de pesticidas nos últimos 3 anos, segundo o Ministério da Agricultura, se deve a “medidas desburocratizantes” adotadas nos órgãos que avaliam os produtos, em especial na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), considerada o principal gargalo.

Aloma Carvalho