Sérgio Moro, com 59% de aprovação, é o único ministro de Bolsonaro que consegue se salvar nos primeiros 100 dias

abril 8, 2019 /

Além de apontar Jair Bolsonaro como o pior presidente da história em seus 100 primeiros dias, o Datafolha também indicou que os brasileiros reprovam a maioria de seus ministros. “Paulo Guedes, chefe da pasta da Economia, é conhecido por 74% dos brasileiros. A avaliação de sua gestão registra uma empate técnico: ótima ou boa para 30% e regular para 28%. Outros 12% a classificam como ruim ou péssima. Não opinaram 4%”, aponta o Instituto Datafolha.

A ministra Damares Alves, dos Direitos Humanos, é conhecida por 57% e tem sua gestão considerada ótima ou boa por 25%. “Acumulando crises em sua gestão, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, teve uma das mais baixas aprovações, apenas 13%. É conhecido por 38% da população. Ernesto Araújo, ministros das Relações Exteriores, também registrou 13% de aprovação.  Os piores resultados da pesquisa ficaram para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Conhecido por 30%, é avaliado como ótimo ou bom por 11% da população”, aponta o texto.

Na pesquisa, apenas o ministro da Justiça, Sergio Moro, com 59% de aprovação, consegue se salvar.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.