Saúde estadual transporta por helicóptero o 100º órgão para transplante em 2019

julho 21, 2019 /

A cada dois dias, o RJ transporta um órgão pelo

ar com apoio do Corpo de Bombeiros

O céu é o limite para salvar vidas. O Programa Estadual de Transplantes da SES-RJ, com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, atingiu ontem (20/07) a marca de 100 órgãos transportados por helicópteros em 2019. Com isso, o Estado alcançou a média de um órgão para transplante em voos a cada dois dias. Em todo o ano passado, foram 105 órgãos transportados por esse tipo de aeronave.

Nesse tipo de cirurgia, cada minuto faz diferença para que o órgão seja levado do doador para o receptor e, em áreas metropolitanas, o transporte aéreo garante a agilidade necessária. Além do Grupamento de Operações Aéreas do CBMERJ, o Batalhão de Choque da PMERJ também apoia os procedimentos do PET, ajudando, pelo ar e pela terra, a salvar vidas em todo o Rio de Janeiro.

Desde sua criação, em 2010, o PET já realizou mais de 15 mil transplantes, fazendo com que o Rio saísse dos últimos lugares do ranking nacional para ocupar as primeiras colocações no país. Hoje, o PET realiza captação e transplante de coração, fígado, rim, medula óssea, osso, pele, córnea e esclera (membrana que protege o globo ocular). No primeiro semestre de 2019, os números chegaram a 378 transplantes de órgãos sólidos.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.