Rogério Lisboa exonera Dito, o secretário que não gerou trabalho,emprego e renda em Nova Iguaçu

julho 17, 2019 /

Expedito Ribeiro Lopes, o Dito, foi exonerado pelo prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, do cargo de Secretário do Trabalho e Renda. Vereador de Belford de 1992 a 1996, Dito, eleito pelo antigo PL, presidiu a Câmara Municipal nos primeiros dois anos da administração do prefeito Jorge Júlio Costa dos Santos, o Joca, e depois perdeu a eleição como candidato a a vice-prefeito, pelo PMDB,  na chapa que tinha o ex-deputado Renato de Jesus (PSDB) na cabeça. Nas eleições daquele ano, a população e Belford Roxo, comovida pela morte de Joca, deu uma grande votação à viúva Maria Lúcia Costa dos Santos (PPB) do primeiro prefeito da cidade. Dito, que tinha base eleitoral no Lote Quinze, atravessou a rua Joaquim da Costa Lima e se aliou a José Camilo Zito na disputa da Prefeitura de Caxias . Dito virou secretário de Ação Social em Duque de Caxias quando Zito governou a cidade  e nunca mais quis saber de ser candidato, mas ganhou um novo padrinho político, o deputado federal Aureo, do Solidariedade do Rio de Janeiro. E quem pagou a conta do apoio do Solidariedade a Rogério Lisboa em 2016 foi a população de Nova Iguaçu: Dito foi nomeado por Rogério Lisboa Secretário do Trabalho, Emprego e Renda. Ao longo dos últimos dois anos, seis meses e 16 dias em que Dito e e outros protegidos de Áureo receberam salários pelos cargos que ocuparam na Prefeitura de Nova Iguaçu, o secretário hoje exonerado não produziu um só fato político que tenha gerado trabalho,emprego e renda em Nova Iguaçu. Seu substituto será Antônio Max de Carvalho.

Paulo Cézar

PAULO CEZAR PEREIRA, também chamado de PC ou Paulinho da Baixada, aprendeu jornalismo nas redações de alguns principais veículos – rádios,jornais e revistas. Conheceu, como Repórter Especial do GLOBO, praticamente todos os estados brasileiros, as duas antigas Alemanhas antes da reunificação, Suiça, Austria, Portugal, França, Itália, Bélgica, Senegal, Venezuela, Panamá, Colômbia e a Costa Rica. É casado com Ana Maria e tem três filhas que já lhe deram cinco netos. Tem três paixões: a família, o jornalismo e o Flamengo. No passado, assessorou um governador, um senador, dois prefeitos e vários deputados. Comandou a área de Comunicação de Nova Iguaçu num total de 12 anos. Já produziu três livros : um para a Coleção Tiradentes, outro contando a evolução de Nova Iguaçu quando a cidade completou 170 anos, e o do jubileu de ouro da Diocese de Nova Iguaçu.